Pela Copa do Brasil, Internacional ganha do Vitória com erro do goleiro Caíque

  • Por Estadão Conteúdo
  • 11/04/2018 22h18 - Atualizado em 12/04/2018 00h31
Divulgação/ InternacionalD'Alessandro comemora vitória do Inter

Com uma mãozinha do goleiro Caíque, o Internacional conseguiu vencer o primeiro jogo da quarta fase da Copa do Brasil. Jogando no estádio Beira-Rio, em Porto Alegre, bateu o Vitória por 2 a 1 e agora depende apenas de si para avançar. Patrick abriu o placar em bela trama no início do jogo, mas Denílson deixou tudo igual ainda no primeiro tempo. Aos 44 minutos da segunda etapa, D’Alessandro cobrou falta pela direita, e o arqueiro baiano acabou espalmando para dentro do próprio gol, decretando o triunfo gaúcho.

O frango de Caíque amenizou o clima no Internacional, que foi eliminado pelo Grêmio nas quartas de final do Campeonato Gaúcho e vem pressionado pelo torcedor, que não lotou o estádio Beira-Rio – foram pouco mais de 16 mil pagantes.

Agora o Vitória precisa vencer por dois ou mais gols de diferença no próximo dia 19, no estádio Barradão, em Salvador, para avançar direto para as oitavas de final. Caso triunfe por um gol de vantagem, a decisão vai para os pênaltis. Empate ou vitória classifica o clube gaúcho.

Pressionando desde o início da partida, o Internacional conseguiu abrir o placar aos 17 minutos de bola rolando. Iago aproveitou uma sobra pelo meio e acionou Rossi pela esquerda. Com espaço, ele buscou o fundo e cruzou para trás, na direção de Patrick. O volante entrou em velocidade, cortou a marcação e tocou na saída de Caíque para abrir o placar. A bola na rede premiou o time que vinha buscando o ataque.

A primeira chegada do Vitória aconteceu só aos 25 minutos, quando Kanu se aventurou no ataque e aproveitou um cruzamento da esquerda. O zagueiro se antecipou ao goleiro Marcelo Lomba e testou firme, mas ela saiu pela linha de fundo. Ainda no primeiro tempo, aos 42, Rodrigo Dourado tentou inverter uma bola na defesa e deu nos pés de Rhayner, que aproveitou o espaço e bateu contra o arqueiro colorado. No rebote estava Denílson, que só completou para o fundo das redes e deixou tudo igual no placar.

No segundo tempo, o Internacional voltou mais uma vez aguçado. Com 14 minutos, Edenílson fez um lançamento espetacular para William Pottker, mas o atacante tirou demais do goleiro e acabou jogando pela linha de fundo. Aguentando a pressão, o Vitória atuava principalmente nos erros do adversário, visivelmente priorizando o jogo defensivo, sem deixar espaço.

Mas tudo foi por água abaixo em um dos últimos lances da partida Aos 44 minutos, D’Alessandro tomou distância para uma cobrança de falta pela direita. O camisa 10, reconhecido pela qualidade na bola parada, pegou muito mal: alta demais para um cabeceio e fraca demais para ser um chute direto para o gol. Só que o argentino contou com uma mãozinha do goleiro do Vitória. Caíque tentou afastar, acabou falhando e jogou contra o próprio gol. Revelado nas categorias de base, o jogador de 20 anos vinha fazendo boa partida.

Ponte encaminha classificação

Com um primeiro tempo perfeito, a Ponte Preta deixou a classificação para as oitavas de final da Copa do Brasil bem encaminhada ao arrasar o Náutico, por 3 a 0, no estádio Moisés Lucarelli, pela quarta fase. A partida desta quarta-feira à noite marcou a reestreia de Doriva no comando alvinegro.

Os dois times voltam a se encontrar na próxima quarta-feira, novamente às 21h45, na Arena de Pernambuco, na região metropolitana do Recife. O time paulista pode perder até por dois gols de diferença que garante a classificação para as oitavas de final, enquanto o Náutico precisa ganhar de quatro ou mais. Uma vitória pernambucana por três gols leva a decisão para os pênaltis.

A Ponte Preta começou em ritmo alucinante, tanto que aos 26 minutos já vencia por 3 a 0. O primeiro saiu aos 15. Paulinho cruzou, a defesa do Náutico afastou mal e Orinho acertou um bonito chute de primeira, no cantinho. E com o pé direito, que não é o seu forte.

Cinco minutos depois, Felipe Saraiva recebeu lançamento de Marciel, deixou Kevyn e Bruno no chão, antes de bater no cantinho, marcando um golaço no Majestoso. Além do goleiro, outros quatro adversários ficaram caídos na pequena área.

Mesmo na frente, a Ponte continuou sufocando o Náutico até marcar o terceiro. Júnior Santos ganhou a dividida contra dois adversários, invadiu a área e bateu na saída de Bruno. O estreante Paulinho ainda quase fez o quarto em chute de fora da área. O time pernambucano foi assustar apenas aos 41 minutos, quando Odilávio desviou cruzamento de Júnior Timbó para fora.

O Náutico voltou com duas mudanças do intervalo para buscar pelo menos um gol, mas viu a situação ficar mais complicada logo aos seis minutos do segundo tempo, quando Jobson deu uma cotovelada e foi expulso. No entanto, a Ponte Preta não arriscou e ficou tocando a bola esperando achar um espaço na defesa adversária.

Somente nos minutos finais os donos da casa esboçaram uma pressão em busca do quarto gol, que quase saiu em chute cruzado de Aaron após cruzamento de Orinho na segunda trave.

Emocionante

 No outro jogo desta quarta-feira, o Avaí buscou o empate por 2 a 2 com o Goiás, no estádio da Ressacada, em Florianópolis, com gol de Rodrigão, ex-Santos, no último lance da partida. Breno abriu o placar para os goianos, mas Romulo deixou tudo igual aos 42 minutos do segundo tempo. Daí em diante foi uma chuva de gols: Júnior Viçosa recolocou o time visitante na frente, aos 44, e Rodrigão empatou tudo mais uma vez aos 48, já nos acréscimos.

Os dois times voltam a se enfrentar no próximo dia 18, no estádio Serra Dourada, em Goiânia. Quem vencer chega às oitavas de final. Novo empate vai levar a definição para as cobranças de pênaltis porque nesta fase não existe qualificação no gol fora de casa.