Promotor diz que Ronaldinho Gaúcho é investigado por outros crimes

  • Por Jovem Pan
  • 08/03/2020 14h49 - Atualizado em 08/03/2020 14h52
Reprodução Ronaldinho Gaúcho está detido no Paraguai

Ronaldinho Gaúcho e Roberto de Assis, seu irmão, tiveram a prisão preventiva decretada pela Justiça do Paraguai por uso de passaportes falsos. De acordo com Osmar Legal, promotor do caso, é importante que a dupla permaneça no país até que o imbróglio seja esclarecido. Ele, no entanto, acredita que os brasileiros tenham cometido outros crimes.

“Um brasileiro com documentação paraguaia poderia ter a vantagem de participar de negócios em algumas empresas no país. Que não seriam dadas sem a cidadania paraguaia”, disse Osmar Legal, neste domingo (8), em entrevista ao “Globoesporte.com”.

Mesmo sem detalhar quais serão as próximas fases do processo, Osmar disse que existem indícios de que Ronaldinho precisará responder por outras irregularidades. “Há indícios de que outros crimes foram cometidos”, afirmou.

Questionado sobre o assédio que Ronaldinho recebeu nos últimos dias, Osmar Legal disse encara o fato como normal. O promotor, por outro lado, reiterou que lei é para todos.

“Nesses últimos dias, multidões fizeram filas para conseguir uma foto ou um autógrafo. E isso também acontece dentro do sistema de Justiça, que nem sempre funciona com a frieza que deveria funcionar. A Lei deve ser igual para todos, seja Ronaldinho ou qualquer outro cidadão. Ele é uma pessoa muito querida, mas nós precisamos fazer o nosso trabalho como se fosse uma pessoa qualquer”, opinou.

Sérgio Queiroz, advogado de Ronaldinho Gaúcho e de Roberto Assis, concedeu entrevista coletiva na tarde deste domingo (8), em Assunção. De acordo com o defensor, os brasileiros estão presos no Paraguai após um ato ilegal da Justiça local.

Pedida por Osmar Legal, a prisão preventiva de Ronaldinho Gaúcho e seu irmão/empresário pode durar até seis meses.