Rafinha diz que título mundial seria presente para coroar ano do Flamengo

  • Por Jovem Pan
  • 16/12/2019 13h31
ALEXANDRE NETO/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDOLateral-direito Rafinha em ação pelo Flamengo

Vencer o Mundial de Clubes como a coroação de uma temporada praticamente perfeita para o Flamengo. Esse é o pensamento do lateral-direito Rafinha na véspera da estreia da equipe na competição, nesta terça-feira, diante do Al-Hilal, em Doha, pelas semifinais.

Embora irregular em alguns momentos do primeiro semestre, o Flamengo conquistou o título do Campeonato Carioca. Depois, na segunda metade do ano venceu com folga o Campeonato Brasileiro e ainda faturou a Copa Libertadores em uma emocionante decisão contra o River Plate. “O Flamengo foi campeão em 1981 e seria um presente muito grande coroar essa temporada com esse título”, disse Rafinha, em entrevista coletiva, nesta segunda-feira.

O lateral-direito, aliás, já ostenta uma conquista do torneio, em 2013, quando defendia o Bayern de Munique. E valorizou a importância da competição. “É um título muito grande. Sabemos que é o máximo para clubes e representa muito também na América do Sul. Venci em 2013 pelo Bayern de Munique. Esperamos fazer um grande jogo para disputar a final. É um título com um valor muito grande”, disse,

Apesar de toda a expectativa para um confronto com o Liverpool na decisão do Mundial, Rafinha ressaltou que ninguém no elenco do Flamengo pensa na final. O foco está no Al-Hilal, até para evitar uma eliminação precoce, como ocorreu com outros clubes brasileiros em edições recentes do torneio.

“Estamos vacinados sobre esse assunto. Nosso pensamento está no Al-Hilal. Muitos brasileiros ficaram pelo caminho e não podemos repetir o erro. Se passarmos, pensamos na final”, afirmou o lateral.

O Al-Hilal, da Arábia Saudita, venceu no último sábado o Espérance, da Tunísia, por 1 a 0, avançando para encarar o Flamengo nas semifinais do Mundial. E o confronto entre os últimos vencedores da Copa Libertadores e da Liga dos Campeões da Ásia está agendado para as 14h30 (horário de Brasília) desta terça-feira, no Estádio Internacional Khalifa, em Doha.

*Com informações do Estadão Conteúdo