Ramiro marca no fim, Grêmio derrota o Coritiba e assume a vice-liderança

  • 15/10/2017 21h27
GUILHERME ARTIGAS/ESTADÃO CONTEÚDORamiro garantiu a vitória do Grêmio, aos 46 do segundo tempo, ante o Coritiba no Couto Pereira

O Grêmio entrou em campo neste domingo cobrado por Renato Gaúcho a apresentar algum tipo de reação. Embora a atuação tenha sido apática, o time respondeu ao seu treinador. Ganhou do Coritiba por 1 a 0, no Couto Pereira, pela 28ª rodada do Campeonato Brasileiro. Ramiro marcou o gol do triunfo já aos 46 minutos do segundo tempo.

O bom resultado deixou o Grêmio novamente na vice-liderança do Brasileirão, com 49 pontos, nove atrás do Corinthians, ainda que possa ser ultrapassado nesta segunda-feira pelo Santos. Já o Coritiba chegou à nona partida sem vitória na competição e permaneceu em penúltimo, com apenas 28.

O time paranaense volta a atuar no Couto Pereira na quarta-feira, quando recebe o Cruzeiro. No mesmo dia, em São Paulo, a equipe de Renato Gaúcho tem o difícil desafio contra o líder Corinthians.

Tanto Coritiba quanto Grêmio entraram em campo neste domingo bastante pressionados. O time mandante não vencia há oito partidas na competição – cinco derrotas e três empates – e precisava do triunfo para aumentar suas chances de escapar do rebaixamento.

Já o problema no Grêmio referia-se à determinação dos atletas no Campeonato Brasileiro. Depois da derrota para o Cruzeiro na última rodada, em casa, Renato Gaúcho reclamou que os jogadores estavam mais preocupados com o primeiro duelo da semifinal da Copa Libertadores, contra o Barcelona de Guayaquil, no Equador, em 25 de outubro, do que com os últimos duelos. Cobrou, assim, mais envolvimento de todo o elenco.

Se dependesse dos minutos iniciais da partida, contudo, o treinador reforçaria ainda mais a crítica. O pressionado Coritiba começou em ritmo avassalador e teve duas chances nos quatro primeiros minutos. Primeiro, Thiago Carleto cobrou falta com perigo e Marcelo Grohe espalmou para escanteio. Depois, na cobrança, Werley ganhou no alto e cabeceou no canto. O goleiro já estava vencido, mas a bola saiu por pouco.

Embora a pressão tenha arrefecido nos minutos seguintes, o Coritiba dominava o meio-campo e controlava o duelo. Somente a partir dos 15 o Grêmio teve alguma reação e começou a trocar passes. Era pouco. Arthur e Ramiro não se encontravam, Arroyo e Fernandinho erravam muito e Barrios parecia um mero espectador. O time mandante, assim, seguia melhor até assustar novamente aos 27, em outra falta de Carleto defendida por Grohe.

Aos 33, enfim, o Grêmio criou o seu primeiro lance de perigo: após cobrança de escanteio, Geromel cabeceou e a bola saiu por pouco. Mas foi só. O Coritiba seguiu pressionando e desperdiçou novas chances com Alan Santos e Tiago Real.

Qualquer possível bronca de Renato Gaúcho no intervalo ficou no vestiário. O Grêmio iniciou o segundo tempo com a mesma apatia e viu o Coritiba desperdiçar incrível oportunidade aos três minutos, quando Carleto cruzou e Alan Santos desviou de cabeça. A bola, então, sobrou para Werley. E, sozinho, quase com o gol aberto, o zagueiro acertou a trave.

A pressão do Coritiba seguiu durante todo o segundo tempo. Mas, aos poucos, conforme os minutos avançavam, o nervosismo causado pela quase obrigação da vitória ficou evidente. O Grêmio, então, soube cadenciar o jogo e o ritmo do duelo diminuiu de vez. E, quando o empate parecia inevitável, Ramiro aproveitou boa jogada de Jael, entrou livre na área, bateu no canto e definiu a boa vitória do Grêmio.