Rogério Ceni está com carta branca para “revolucionar” no Fortaleza

  • Por Estadão Conteúdo
  • 07/01/2018 12h45
Divulgação Fortaleza ECRogério Ceni foi apresentado como treinador do Fortaleza no final do último ano

Desde 26 de dezembro de 2017, Rogério Ceni vem provocando grandes transformações como técnico do Fortaleza. O ex-goleiro recebeu praticamente carta branca da diretoria para colocar em prática o que imagina ser o ideal por sua longa vivência no futebol, seja dentro ou fora de campo. No ano em que o clube completa 100 anos, os dirigentes se orgulham do projeto “Centenário Ceni”.

Uma das primeiras providências foi pedir a mudança do local de treinamento. A equipe saiu do estádio Alcides Santos, em Fortaleza, e foi para o CT Ribamar Bezerra, em Maracanaú (região metropolitana de Fortaleza). O estádio passa por uma drenagem para colocação de um gramado de melhor qualidade. Na sequência, o treinador pediu a construção de uma academia, hotel e museu. O Departamento de Obras do clube já está com as plantas montadas para começar a empreitada, mas o cronograma vai respeitar a entrada de verbas. Mesmo no início do trabalho, o treinador considera essas novas construções como seu legado no clube cearense.

“Ele também pediu melhorias na parte de alimentação e acomodação dos atletas. Melhoramos o cardápio, o refeitório com um mix de produtos de qualidade que a gente já está oferecendo para os atletas. Isso a curto prazo vai favorecer a gestão Rogério Ceni, enquanto treinador do Fortaleza, mas, a longo prazo, fortalece o clube”, explicou o presidente do Fortaleza, Marcelo Vaz. “Estamos melhorando pontualmente também o CT Ribamar Bezerra, que era uma estrutura que não era utilizada pelo elenco profissional”.

O clube preparou uma sala de trabalho, espaço que normalmente existe em todos os times de elite no Brasil, mas que nunca foi imaginado no Fortaleza. “Montamos uma sala especial para a comissão técnica, onde ele faz todo o planejamento”, revelou o presidente.

O Fortaleza deve apresentar em breve o hotel para abrigar o elenco profissional nas concentrações em 2018

Rogério Ceni já conseguiu três patrocinadores – refrigerantes Frevo, Servis Segurança e Otoclínica – para a camisa que ele usa nos treinos e nas entrevistas coletivas. A diretoria está prospectando outros parceiros para o treinador e também para o Fortaleza, como a Caixa Econômica Federal como o apoiador master para o uniforme de jogo. “Enviamos toda documentação exigida pela Caixa e estamos no aguardo na análise técnica dela”, comentou Marcelo Paz.

Durante o seminário “O Fortaleza do Centenário”, realizado na última sexta-feira, no auditório Blanchard Girão, da Secretaria de Esporte do Ceará, em prédio anexo à Arena Castelão, o presidente citou que o orçamento anual do time para 2018 é de R$ 25 milhões ou pouco mais de R$ 2 milhões por mês. “Estamos buscando agregar a marca Ceni e a marca do centenário para atrair sócios-torcedores, patrocinadores e doadores. É o trabalho de muitos com um pouquinho de cada”, afirmou.

Atualmente, o Fortaleza tem 15 mil sócios torcedores em seu programa, sendo 12 mil adimplentes e 3 mil inadimplentes. O tíquete médio é de R$ 40 mês por sócio torcedor.

Dentro de campo, o elenco já começa a ter a cara do novo treinador. Rogério Ceni trabalha em dois períodos, manhã e tarde, diariamente. Com uma prancheta na mão, acompanha os exames físicos e médicos. Segundo o diretor de futebol Daniel de Paula Pessoa, o clube fez oito renovações de jogadores que ascenderam para Série B e já efetivou 12 contratações.

Atacante Gustavo, o Gustagol, ex-Corinthians, é um dos reforços do Fortaleza para a temporada

“Estamos com o elenco praticamente definido para a temporada. Talvez mais uma contratação para o ataque. Mas todos estão gostando e se adaptando ao estilo do professor Rogério Ceni. Não há reclamação Ele vem trabalhando de forma inovadora, conseguindo unir treino com bola e preparação física”, lembrou Daniel. “Estamos tendo uma resposta muito positiva dos atletas pelo projeto Centenário Ceni”.

A aposta principal está nos jovens. O zagueiro Murilo, de 18 anos, saiu do São Paulo como outra promessa. Ainda está buscando um lugar na equipe. Estão na mesma situação os jogadores Wesley, Dênis, Sérgio e Andrey. Rogério Ceni tem adotado o estilo paizão Com paciência, orienta, incentiva e dá poucas broncas. “Ele tem sido um pai para mim. Tem dado todas as chances para apresentar meu futebol. Ele tem me ensinado bastante e agradeço muito”, salientou Jacaré, uma das promessas das categorias de base do Fortaleza.

Aos 18 anos, o atacante foi um dos destaques nos treinos da pré-temporada do Fortaleza, realizada em Maracanaú. Ele foi bem na seleção cearense sub-20 e no Icasa-CE, na Taça Fares Lopes. “Jacaré é um atleta com muito potencial, que está treinando conosco no elenco profissional e contamos com ele para a temporada 2018, tendo em vistas as adaptações e avaliações do Rogério Ceni”, afirmou Daniel de Paula. “Ele está praticamente dedicando 24 horas por dia ao Fortaleza”, garantiu o diretor operacional e de projetos sociais do time, coronel Plauto de Lima, que acompanha todos passos de Ceni para garantir a segurança do treinador.