Sob o comando de Sampaoli, Atlético-MG projeta novas contratações

  • Por Jovem Pan
  • 26/05/2020 15h27
Bruno Cantini/Atlético-MGSampaoli comanda treinos na Cidade do Galo

Após quase dois meses sem atividades na Cidade do Galo, o Atlético-MG retomou os treinos há uma semana, ainda sem saber quando as competições voltarão a acontecer. Nos bastidores, a rotina tem sido agitada – e a diretoria corre atrás de reforços para o novo treinador Jorge Sampaoli.

O diretor de futebol Alexandre Mattos explicou algumas situações do mercado de transferências. O nome de Vargas, do Universidad do Chile e da seleção chilena, é cotado. “Vargas é chileno, conhece muito bem Sampaoli e, atualmente, defende o Tigres (México). Tem 30 anos. Passou pelo Grêmio em 2013. Sem dúvida é um grande jogador. O Sampaoli tem uma característica muito própria. Estamos atrás de buscar algumas situações”, afirmou à Rádio da Massa.

O dirigente foi cauteloso quando perguntado sobre a contratação de Léo Sena, do Goiás, e Alan Franco, do Independiente Del Valle. “A gente tem que aguardar as coisas acontecerem, não dá para cravar nada. Nosso país está muito instável, nossa moeda está muito instável, a gente não sabe direito o que vai acontecer. A gente vê a Alemanha como um todo funcionando. Aqui, o governo federal fala uma coisa, o estadual fala outra, o municipal também fala outra. A gente não está conseguindo uma unidade e isto está se refletindo dentro dos clubes de futebol. Essa instabilidade não nos permite cravar nada a não ser trabalhar muito”, explica.

Quanto à rotina sob o comando do novo treinador, Mattos conta que Sampaoli é rigososo – “chega na Cidade do Galo às 6h30 rigorosamente todo dia. O treino começa às 9 horas, mas 6h30 ele já está na Cidade do Galo planejando o treino. Ele é uma pessoa que vive intensamente sua vida, profissionalmente mais ainda. Ele ama o que faz, isso facilita”, revela.

“A relação (com Sampaoli) está muito boa. Obviamente todos muito ansiosos para que a gente possa fazer nosso trabalho. A gente quer ver o time sendo desenhado pensando em adversários, em objetivos na competição. Isso que a gente ama. Infelizmente não estamos conseguindo. Ele é mais um que está na ansiedade pra que a gente possa rapidamente entrar numa rotina normal. Ele está muito animado, entendendo o momento, mas ao mesmo tempo é um cara que cobra muito, que quer vencer. Isso é muito bom”, completa Mattos.

* Com Estadão Conteúdo