Cuca nega ter pedido desculpas a presidente por críticas à diretoria do Santos

  • Por Estadão Conteúdo
  • 31/08/2018 14h15 - Atualizado em 31/08/2018 14h29
Ivan Storti/Santos FCCuca comanda o treino do Santos no CT Rei Pelé

O técnico Cuca não diminuiu o tom da sua crítica sobre o que apontou como falta de profissionalismo da direção do Santos na escalação irregular de Carlos Sánchez no jogo de ida das oitavas de final da Libertadores da América. Nesta sexta-feira (31), o treinador concedeu entrevista coletiva no CT Rei Pelé e negou que tenha pedido desculpas, como declarou um dia antes o presidente José Carlos Peres, reiterando que a gestão precisa “melhorar e muito”.

“Eu não fiz críticas, fui perguntado por um colega de vocês, não lembro quem, sobre o tema, se faltava (profissionalismo). Disse que faltava e poderia melhorar e muito. Não tenho que pedir desculpa se é o meu sentimento. Tenho que tentar melhorar o clube em que trabalho em todas as partes, principalmente dentro de campo. Conversei com presidente hoje (sexta-feira) pela manhã, ainda não tinha falado antes, e não quis ofender ninguém. É um sentimento para melhorar. Não é crítica a A, B ou C, é algo geral. Eu também devo melhorar”, afirmou o treinador.

Na quinta, durante entrevista na Federação Paulista de Futebol, Peres exibiu incômodo com o fato de Cuca ter exposto publicamente as suas insatisfações em relação à administração do clube. Apesar disso, o dirigente assegurou que já havia “acertado as arestas” com o treinador.

Cuca comparou a sua crítica à gestão do Santos com o seu incidente envolvendo a Polícia Militar – o treinador tentou “proteger” um torcedor que invadiu o gramado do estádio do Pacaembu na terça-feira, após a paralisação do confronto de volta com o Independiente, pelas oitavas de final da Libertadores.

No dia seguinte, Cuca pediu desculpas pelo seu comportamento, algo que ele não considera necessário no caso da crítica à diretoria. “Não pedi desculpa para ninguém. Se precisasse, assim como com a Polícia Militar, que realmente errei. Quero cuidar do campo, ele está certíssimo em dizer isso. É o que vou fazer”, disse.

Ao utilizar Sánchez na partida de ida das oitavas de final, na Argentina, contra o Independiente, que em campo terminou empatada por 0 a 0, o Santos foi punido com a instituição do placar desfavorável de 3 a 0, imposto em julgamento da Conmebol. A punição foi divulgada na última terça, horas antes do confronto de volta entre os dois times, no Pacaembu, que terminou empatado sem gols após confusão provocada pelos torcedores santistas no segundo tempo.