Peres descarta saída de Rodrygo e espera que atacante fique ao menos 3 anos no Santos

  • Por Estadão Conteúdo
  • 04/05/2018 15h00
Ivan Storti/Santos FCEm 2018, Rodrygo tem cinco gols marcados em 19 jogos disputados

As grandes atuações de Rodrygo pelo Santos em 2018, com cinco gols marcados em 19 jogos, confirmam as expectativas que o clube tinha envolvendo o atacante e já o fazem ser visto como uma futura estrela do futebol brasileiro a ser negociado com algum time do exterior.

Porém, o presidente da equipe, José Carlos Peres, descarta uma transferência nesse momento e aponta que o jogador ainda precisa se desenvolver dentro do futebol nacional. Por isso, ele espera que Rodrygo fique por ao menos mais três anos na equipe santista.

“Ele tem um caminho a percorrer de maturação, e seria uma pena se fosse transacionado. Perderia oportunidade de crescer no futebol brasileiro. Sempre digo que o jogador com o talento do Rodrygo tem que jogar pelo menos três anos no país para ganhar maturidade”, afirmou o dirigente em entrevista coletiva durante apresentação da Philco como nova patrocinadora do Santos.

A imprensa europeia, no entanto, afirma que Rodrygo já desperta o interesse de clubes como o Barcelona. Peres garante, porém, que o Santos ainda não foi procurado por qualquer time, embora avalie como natural que o jovem atacante, de apenas 17 anos, desperte o interesse de outros times.

“O Santos recebe isso com naturalidade. As estrelas são raras. Ele é um menino de 17 anos e nem pode ser transacionado pelas leis da Fifa. Ficamos felizes com clubes tão grandes quanto o Santos com interesse no jogador, mas não há a menor possibilidade da saída do Rodrygo nesse ano e, provavelmente, no ano seguinte”, comentou Peres, acrescentando que o jogador “não está à venda”.

Rodrygo possui contrato com o Santos até o final de 2022, com multa estipulada em 50 milhões de euros (aproximadamente R$ 220 milhões). Na avaliação de Peres, nenhum time está disposto a pagar esse valor ao clube nesse momento para adquirir o atacante.

“Tem uma multa de 50 milhões de euros, mais de R$ 200 milhões. Isso não é tangível neste momento, pelo que eu sinto no mercado. Vejo o Rodrygo conosco ainda por alguns anos, mostrando futebol e agregando valor para a marca Santos”, comentou.