Peres pede paciência com Jesualdo Ferreira no Santos e prioriza lateral-esquerdo

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2020 15h08
Ivan Storti/Santos FCJosé Carlos Peres é presidente do Santos

Com pouco menos de 15 dias de trabalho, o técnico português Jesualdo Ferreira já está dando a sua cara ao Santos. A estreia na temporada de 2020 será nesta quinta-feira (23) contra o Bragantino, no estádio da Vila Belmiro, pela rodada inaugural do Campeonato Paulista, e a expectativa é grande no clube. Mas o presidente José Carlos Peres pede paciência com o novo treinador, que substitui o argentino Jorge Sampaoli.

“A palavra é adaptação. Temos que estar conscientes de que ele está chegando agora”, afirmou o dirigente, em entrevista coletiva nesta terça-feira (21), na Vila Belmiro, mencionando também a confiança no trabalho do português. “Quando o Sampaoli saiu, tínhamos a preocupação de dar sequência ao trabalho dele, com um futebol ofensivo. Pelo que percebo, esse trabalho vai continuar com um treinador experiente, que foi campeão em três continentes”.

De acordo com Peres, Jesualdo Ferreira ainda analisa o elenco do Santos antes de pedir contratações. Mas para o presidente do Santos uma reposição já é certa: a lateral esquerda. “Jesualdo está fazendo trabalho de avaliação de elenco. Ele vai fazer a demanda e a gente vai tentar atendê-lo da melhor forma. De uma coisa sabemos, precisamos de um lateral-esquerdo”, disse.

Com a saída do lateral-direito Victor Ferraz (para o Grêmio), do zagueiro Gustavo Henrique (no Flamengo) e do lateral-esquerdo Jorge (de volta ao Monaco, da França), três titulares absolutos do Santos na temporada passada, o clube procura por reposições para as posições e, principalmente, para a lateral esquerda, já que Felipe Jonatan é o único jogador para o setor em 2020.

Até o momento, o Santos contratou apenas dois reforços: o lateral-direito Madson e o atacante Raniel. Ambos em trocas com Grêmio e São Paulo, respectivamente.

CT DA BASE

Na coletiva, Peres falou sobre os planos que o clube tem em relação à expansão estrutural, ressaltando que a modernização do CT para a base é uma pauta de urgência no Santos.

“Acho que todos estão cientes do problema de infraestrutura que o Santos tem. Não temos à altura do que o Santos revela e do que os meninos precisam. Então pensamos em um centro moderno. Se não for na minha gestão, será na próxima”, garantiu.

“Se revelamos tantos bons jogadores sem a infraestrutura, imagina se tivéssemos. O CT Meninos da Vila vai sofrer intervenções, mas estamos sim atrás de um terreno grande, que possa abrigar o profissional e todas as categorias de base, além do time feminino, que precisa de infraestrutura”, completou.

*Com informações do Estadão Conteúdo