Santos admite derrota na Justiça e desiste de indenização por venda de Neymar

Em nota, clube afirmou que se sentiu lesado após transferência se concretizar, em 2013

  • Por Jovem Pan
  • 07/07/2020 18h54
EFE/EPA/CHRISTOPHE PETIT TESSONSantos ainda briga na justiça por valores referentes a venda de Neymar, hoje no PSG

O Santos confirmou em nota nesta terça-feira, 7, que aceitou a derrota imposta pela Corte Arbitral do Esporte (CAS, em inglês), que rejeitou o pedido de indenização feito pelo clube em razão da negociação envolvendo Neymar com o Barcelona, em 2013.

O Alvinegro solicitou a compensação financeira no valor de R$ 69,2 milhões, cerca de R$ 368 milhões, pelo fato dos catalães terem feito um pagamento antecipado de US$ 64 milhões para o pai de Neymar e a empresa N&N, que pertence à família do jogador.

No comunicado, o clube diz se considerar lesado pela transação. “O Santos FC lamenta, porém, respeitará a decisão que afastou o inquestionável fato de que foi lesado na operação. Ao mesmo tempo, espera que tal desfecho signifique um novo capítulo de transparência e lisura para as operações de transferências do clube”.

Os problemas envolvendo a venda do jogador para o Barcelona levaram o Supremo Tribunal da Espanha a iniciar uma investigação de fraude e corrupção sobre o jogador, que negou irregularidades. A investigação ocasionou na renúncia de Sandro Rossel, então presidente do clube espanhol, que intermediou o acordo, em 2014.

Ao lado de Messi e Suárez, o brasileiro atuou pela equipe durante quatro temporadas, antes de ser negociado com o Paris Saint-Germain por 222 milhões de euros.

Uma possível volta ainda é especulada, mesmo que o presidente do Barcelona já tenha declarado que acha improvável uma oferta consistente na próxima temporada, já que os clubes ainda sofrem com os impactos financeiros causados pela pandemia.

* Com Estadão Conteúdo