Santos bate os reservas do Corinthians e cola no G6 do Brasileirão

  • Por Jovem Pan
  • 13/10/2018 20h53
ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDOGabigol fez o gol após bela jogada de Arthur Gomes

Focado na Copa do Brasil, o Corinthians foi para o clássico contra o Santos com um time cheio de reservas e pagou caro por isso. O Peixe enfrentou um adversário praticamente inofensivo e venceu por 1 a 0. Artilheiro do Campeonato Brasileiro, Gabigol foi quem decidiu. Agora ele tem 14 gols na competição.

O Santos colou no G6 do Brasileirão, pois somou 42 pontos, e sonha com uma vaga na próxima Copa Libertadores. O sexto colocado é o Atlético-MG, que tem 45 e ainda jogará nesta rodada, contra o América-MG. Já o Corinthians pode se preocupar com a zona de rebaixamento, afinal tem só 35 pontos, apenas 5 a mais que o 17º colocado, Ceará.

O Timão até começou mais ligado no jogo e assustou o Santos duas vezes. Emerson Sheik quase acertou um belo chute cruzado. E logo depois Mateus Vital perdeu uma ótima chance na área. Mas foi só.

O Santos equilibrou o jogo aos poucos e conseguiu o gol aos 20min, quando Artur Gomes fez boa jogada na ponta e tocou rasteiro para o meio. A bola ficou viva na área até Gabigol aparecer e chutar para o gol. Na comemoração o atacante fez pedadaladas e depois explicou que foi uma homenagem a Robinho.

Caiu um chuva forte logo depois e esfriou o jogo até o final do 1º tempo. E depois do intervalo, aconteceu uma cena inusitada: o juiz Péricles Bassols paralisou o jogo porque uma borracha do fone que ele usa tinha entrado no ouvido. Mas o objeto foi retirado, então ele continuou a apitar a partida.

O Corinthians continuou sem criatividade para buscar empate, então o Santos cresceu na partida. Aos 19min, o Peixe criou uma grande oportunidade em lance de bola parada, mas Walter defendeu a boa finalização de Gabigol aos 19min. Aos 23min, Diego Pituca teve boa chance na área, mas chutou para fora.

Os últimos minutos de jogo foram bem administrados pelo Santos. O Corinthians tentou partir para o ataque de qualquer forma e teve a melhor chance em um cabeceio de Gabriel, aos 43min, que mandou a bola para fora. E ficou nisso. O Timão não conseguiu sequer criar um grande sufoco no final.