Santos e Fluminense farão duelo de táticas mais diferentes do Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 02/05/2019 10h15
Ivan Storti/Santos FCSampaoli tem mexido bastante na tática do Santos

O futebol brasileiro não costuma ser um terreno fértil para inovações táticas. Nos últimos anos, a maioria dos times tem jogado de maneira parecida, quase sempre de forma defensiva, reativa e com poucas variações. Mas 2 técnicos fogem do comum e vão se enfrentar nesta quinta-feira (2), às 19h15 (de Brasília), pelo Campeonato Brasileiro. O confronto entre Santos e Fluminense será especial por causa do duelo entre os técnicos Jorge Sampaoli e Fernando Diniz.

Tanto Sampaoli quanto Diniz gostam que seus times valorizem a posse de bola, com trocas de passes curtos e poucos cruzamentos. Santos e Fluminense lideraram com sobras as estatísticas de troca de passes e posse de bola nos campeonatos estaduais.

Também é interessante observar como os 2 times apresentam muitas variações táticas, normalmente com foco no futebol ofensivo. Sampaoli chegou a escalar o Santos no 2-3-5 recentemente. Nenhum dos 2 técnicos costuma retrancar seus times em busca de resultado – mas quando é necessário, isso pode acontecer, como fez o Peixe contra o Grêmio na rodada passada.

Valorizar a posse de bola e ter variações táticas não são uma receita para o sucesso garantido. Tanto que Santos e Fluminense não foram campeões em 2019 e sofreram derrotas duras. Mas quando a tática dá certo, o desempenho é bonito e até impressiona. Essa é a importância de arriscar algo fora do comum no futebol brasileiro.

As escalações de Sampaoli e Diniz também costumam ser mais imprevisíveis. Muitas vezes eles surpreendem. Para o jogo desta quinta, provavelmente acontecerão surpresas.

O Santos deve jogar com um time bem diferente daquele que bateu o Grêmio. Até a tática deve mudar, com escalação de apenas 2 zagueiros dessa vez. A não ser que Sampaoli realmente surpreenda, o Peixe irá para campo com Vanderlei; Victor Ferraz, Felipe Aguilar, Gustavo Henrique e Jorge; Alisson, Diego Pituca, Carlos Sánchez e Jean Mota; Soteldo e Rodrygo.

Diniz também fez mistério e é até difícil arriscar uma escalação provável, mas uma opção de time tem Rodolfo; Gilberto, Nino, Matheus Ferraz e Caio Henrique; Airton, Bruno Silva e Allan; Everaldo, Luciano e Yony González.