Santos empata com o Athletico-PR no fim com auxílio do VAR

  • Por Jovem Pan
  • 08/09/2019 18h07
Reprodução/TwitterSantos empata com o Athletico no Brasileirão

O Santos lutou até o fim e conseguiu empatar em 1 a 1 com o time reserva do Athletico Paranaense, neste domingo (8), em plena Vila Belmiro. No confronto válido pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, o argentino Braian Romero abriu o placar, mas Carlos Sánchez deixou tudo igual em cobrança de pênalti no fim.

O Peixe começou melhor, mas foi surpreendido pelo Furacão, que inaugurou o marcador após uma sequência de ataques. Em busca da igualdade, o time mandante foi para cima, mas encontrou dificuldades para superar o goleiro Léo, que viveu tarde mágica. Já no fim do embate, o árbitro marcou uma penalidade polêmica com ajuda do VAR, que foi convertida de “cavadinha” por Sánchez.

Agora, o vice-líder Santos chega aos 37 pontos, ficando a dois do Flamengo. Já os paranaenses seguem na zona intermediária, na nona posição, com 26 pontos.

Na próxima rodada, o Santos enfrenta o Flamengo, no sábado (14), no Maracanã. No dia seguinte, o Athletico-PR duela com o lanterna, na Arena da Baixada. Antes disso, na quarta-feira (11), os paranaenses recebem o Internacional, no jogo de ida da final da Copa do Brasil.

Santos tem início frenético…

O Santos imprimiu uma pressão muito forte no começo da partida, adiantando a sua marcação e dificultando a saída de bola adversária. Desta forma, aos 7 minutos, Léo errou e deu presente para Marinho, que bateu firme com a canhota. No meio do caminho, Léo Pereira desviou e salvou a pele do goleiro.

Ligado nos 220v, o Peixe não deixava Athletico respirar, sufocando a equipe visitante contra o seu próprio campo. Ainda assim, a superioridade não era transformada em gol, o que deixou o adversário mais aliviado.

…Mas Furacão toma as rédeas do jogo e marca

Isso porque a pressão diminuiu, o Furacão encaixou a marcação e começou a sair mais para o jogo, trocando passes e construindo jogadas de pé em pé. Primeiro, Everton Felipe assustou ao buscar o ângulo, mas chutar para fora.

Em seguida, Éverson fez dois milagres ao defender arremate de Thonny Anderson e, no rebote, interceptar chute à queima-roupa de Vitinho.

Na sequência, aos 41 minutos, não teve jeito: Lucho lançou para Thonny Anderson, que girou sobre o marcador e bateu cruzado para Braian Romero, que completou na segunda trave para o fundo da rede.

Nos instantes finais da etapa inicial, o Santos até tentou a igualdade com Uribe e Felipe Jonatan, mas Léo apareceu bem para fazer intervenções importantes.

Paredão, Léo salva o Athletico

O time da Baixada voltou do vestiário disposto a buscar a virada. Aos 7, Sánchez bateu escanteio da direita para Gustavo Henrique, que subiu para testar firme. No reflexo, Léo salvou com a ponta dos dedos, colocando para fora.

A ideia de Jorge Sampaoli era voltar a montar uma “blitz”. Por isso, o treinador colocou Lucas Venuto em campo, para tentar dar mais sagacidade ao ataque do Peixe.

Entretanto, o Peixe encontrou um Athletico bem postado, que deixou duas linhas bem compactadas na defesa e contou com tarde inspirada do goleiro Léo.

Produzindo pouco por baixo, o Santos chegou a incomodar de novo pelo alto com Lucas Veríssimo e Uribe tentaram de cabeça, mas pararam no arqueiro.

Santos empata com pênalti polêmico

Aos 45 minutos do segundo, já no apagar das luzes, o Santos conseguiu o empate através de um pênalti controverso. Marinho foi empurrado por Braian Romero fora da área, mas o atacante do Peixe caiu dentro. Após auxílio do árbitro (VAR), o árbitro voltou atrás da decisão e assinalou a penalidade.

Na cobrança, Sánchez mostrou frieza e bateu de “cavadinha” no meio do gol, surpreendendo Léo, que caiu no canto.

Ficha técnica Santos 1 x 1 Athletico Paranaense

Santos

Éverson; Lucas Veríssimo, Aguilar e Gustavo Henrique; Diego Pituca, Jean Mota (Lucas Venuto), Carlos Sánchez e Felipe Jonatan; Eduardo Sasha, Marinho e Uribe.

Treinador: Jorge Sampaoli.

Cartões amarelos: Diego Pituca e Marinho.

Gol: Carlos Sánchez

Athletico Paranaense

Léo; Madson, Pedro Henrique, Léo Pereira e  Adriano (Abner); Matheus Rossetto, Lucho González (Erick), Everton Felipe (Tomás Andrade) e Thonny Anderson; Vitinho e Braian Romero.

Treinador: Tiago Nunes.

Cartões amarelos: Lucho González, Adriano, Matheus Rossetto, Léo e Thonny Anderson.

Gol: Braian Romero

Público e renda

Público total: 12.569

Renda: R$ 476.930,00