Santos sai na frente, mas cede empate para o Bragantino no fim

Marinho abriu o placar no segundo tempo, mas Claudinho igualou o placar 47 minutos da etapa final

  • Por Jovem Pan
  • 09/08/2020 18h55
DivulgaçãoMarinho comemora o gol do Santos na Vila Belmiro

O Santos poderia ter estreado com vitória no Campeonato Brasileiro, com três pontos para dar tranquilidade a Cuca em sua primeira semana efetiva de trabalho neste retorno ao clube, mas a fase se mostrou mesmo complicada. Com um gol sofrido nos acréscimos, o time acabou cedendo o empate em 1 a 1 ao Bragantino, na Vila Belmiro.

Marinho abriu o placar no segundo tempo, e Claudinho igualou para o Braga aos 47 minutos da etapa final. O resultado foi muito comemorado pelo técnico Felipe Conceição, que comandou a reestreia do clube na primeira divisão após 22 anos – a última participação na elite do nacional havia acontecido em 1998.

A próxima partida do Peixe é contra o Inter, às 19h30 de quinta-feira, no Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS). Já o compromisso do Bragantino será na quarta, às 19h15, diante do Botafogo, no Nabi Abi Chedid.

O primeiro tempo foi de equilíbrio na posse de bola, com o Bragantino começando melhor e o Santos se impondo na parte final. O time visitante terminou mais pressionado, mas conseguiu finalizar mais vezes na direção da meta adversária: quatro, contra duas dos mandantes.

O Bragantino assustou logo no primeiro minuto de partida. Aderlan cruzou da direita para Alerrandro arrematar de primeira, mas Vladimir estava atento e fez uma grande defesa. Pouco depois, o goleiro foi novamente acionado em chute longo de Weverson.

O Santos equilibrou o confronto aos poucos, apostando principalmente na velocidade de Soteldo. O venezuelano levava vantagem na maioria dos confrontos individuais e dava muito trabalho nas descidas pelo flanco esquerdo.

Curiosamente, porém, a melhor chance santista no primeiro tempo surgiu pela direita. Aos 15 minutos, Kaio Jorge roubou a bola na desatenção de Fabrício Bruno e foi derrubado pelo zagueiro na área. Carlos Sánchez assumiu a cobrança da penalidade e chutou para fora, à direita do goleiro Cleiton.

Após o intervalo, Vladimir precisou intervir novamente no primeiro minuto para evitar que o Bragantino abrisse o placar, em chute de Artur.

Do outro lado, Cleiton não teve a mesma eficiência. O goleiro já havia participado com segurança em lances anteriores, mas acabou surpreendido por um chute longo de Marinho, que praticamente não vinha aparecendo no jogo. A bola quicou dentro da área e foi morrer no fundo das redes, aos 19 minutos.

Alerrandro já havia acertado a trave aos 27 minutos, após desvio na ponta dos dedos do goleiro Vladimir, quando o Bragantino passou a crescer no confronto.

A insistência foi premiada no fim. Aos 47 minutos, após cobrança de escanteio, Claudinho pegou o rebote na entrada da área e chutou de primeira para empatar.

O lance gerou muita reclamação do Santos, pois o técnico Cuca havia tentado realizar uma substituição antes da cobrança, mas a arbitragem não autorizou a troca de jogadores.

FICHA TÉCNICA:

SANTOS 1 x 1 RED BULL BRAGANTINO

SANTOS – Vladimir; Pará, Lucas Veríssimo, Luan Peres e Felipe Jonatan; Alison, Diego Pituca e Carlos Sánchez; Soteldo, Marinho (Jean Mota) e Kaio Jorge (Uribe). Técnico: Cuca.

RED BULL BRAGANTINO – Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Fabrício Bruno e Edimar; Weverson (Robinho), Ricardo Ryller (Claudinho) e Matheus Jesus; Morato (Bruno Tubarão), Artur e Alerrandro (Ytalo). Técnico: Felipe Conceição.

GOLS – Marinho, aos 19, e Claudinho, aos 47 minutos do segundo tempo

CARTÕES AMARELOS – Ricardo Ryller.

ÁRBITRO – Ricardo Marques Ribeiro (MG).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio Vila Belmiro, em Santos (SP).

* Com Estadão Conteúdo