‘Era um rapaz tranquilo, não apresentava problema’, diz técnico que levou Daniel ao São Bento

  • Por Jovem Pan
  • 30/10/2018 16h10 - Atualizado em 30/10/2018 16h11
Divulgação/São BentoDaniel foi contratado por empréstimo pelo São Bento em junho, com o aval de Paulo Roberto Santos

Assassinado de maneira brutal no último fim de semana, em São José dos Pinhais (PR), o meia Daniel era um rapaz muito tranquilo, trabalhador e que, à primeira vista, não apresentava nenhum tipo de problema. Foi isto o que afirmou Paulo Roberto Santos, técnico responsável por levá-lo do São Paulo ao São Bento de Sorocaba. Ele concedeu entrevista exclusiva ao locutor Nilson Cesar, da Rádio Jovem Pan.

“O Daniel era um rapaz muito tranquilo, trabalhador. Não nos apresentava, à primeira vista, nenhum tipo de problema. Era muito tranquilo, muito profissional. Nós fomos buscá-lo no São Paulo na época em que necessitávamos de um camisa 10. Conversamos com o São Paulo, com o atleta e o trouxemos por empréstimo para o São Bento”, afirmou o ex-treinador do Azulão, que atualmente está sem clube.

Daniel foi emprestado pelo São Paulo ao São Bento em junho, após atuar pelo Coritiba. Em quatro meses, no entanto, sofreu com problemas físicos e disputou apenas duas partidas pela equipe de Sorocaba.

“Ele chegou, começou a trabalhar e, realmente, apresentou alguns problemas clínicos. Tudo indicava que ele conseguiria superar esses problemas para ter uma sequência. Mas, infelizmente, nós fomos surpreendidos por essa notícia que deixou todo mundo muito triste, até pelo ser-humano que era o Daniel”, afirmou Paulo Roberto Santos.

Na última sexta-feira, depois de treinar durante a semana, Daniel não foi convocado para a partida contra o CRB e, por isso, viajou a Curitiba. O corpo dele foi encontrado com sinais de tortura em um matagal em São José dos Pinhais e será velado na próxima quarta-feira, em Minas Gerais.