Muricy diz que Ceni errou em assumir São Paulo e o elogia por ‘passo atrás’ na carreira

  • Por Jovem Pan
  • 08/08/2018 18h36
Rubens Chiri/São Paulo FC/DivulgaçãoMuricy Ramalho foi o técnico que mais trabalhou com Rogério Ceni no São Paulo

“Eu acho que alguns treinadores mais jovens se precipitaram na carreira. Assumiram time pesado, time grande, muito cedo. Aí, vão voltando para os lugares onde deveriam ter começado, lá embaixo. Conhecimento eles têm demais, mas, às vezes, falta experiência.”

A declaração é de Muricy Ramalho, tetracampeão brasileiro como treinador. Em entrevista exclusiva a Nilson Cesar que vai ao ar no próximo Plantão de Domingo, na Rádio Jovem Pan, o hoje comentarista esportivo falou grosso e apontou aquele que considera ser o maior erro na gestão de carreira de alguns jovens técnicos. Entre eles, o seu ex-comandado Rogério Ceni.

“Eu não tive chance, porque a vida nos separa bastante, de ter falado isso para o Rogério pessoalmente. Mas a minha opinião era essa… De ele ter começado mais embaixo, nem que fosse no Sub-20 do São Paulo”, afirmou Muricy. “Ficasse ali um, dois anos… Com certeza ele seria um técnico melhor. É que às vezes… Os jovens, hoje em dia, querem sair da faculdade e já ser donos de banco. Eles não querem ser office boy, já querem logo ser presidente”, acrescentou.

Rogério Ceni pendurou as luvas em dezembro de 2015. Pouco mais de um ano depois, foi anunciado como treinador do São Paulo. A experiência, no entanto, durou apenas sete meses. Ceni foi demitido após acumular eliminações em Campeonato Paulista, Copa do Brasil e Sul-Americana e decidiu repensar a carreira. Em vez de migrar para outro time da Série A, optou por se arriscar na Série B. E tem sido recompensado por isso: hoje no Fortaleza, é o líder da segunda divisão nacional e o principal favorito ao acesso no fim do ano.

“O legal é que o Rogério deu esse passinho para trás… Está forte na segunda divisão, pode ser campeão”, comemorou Muricy. “Com certeza, ele é, hoje, um treinador muito melhor do que era antes. Não de conhecimento, mas de experiência. Porque o treinador é um líder. Quando chega a um clube grande, ele tem de ter bagagem de decisões já tomadas em outras equipes. A experiência é fundamental”, finalizou.

Muricy também falou sobre a volta de Felipão ao Palmeiras, a permanência de Tite na Seleção Brasileira e a liderança do São Paulo no Campeonato Brasileiro. A entrevista vai ao ar, na íntegra, no próximo Plantão de Domingo, na Rádio Jovem Pan. Fique ligado!