Perfil agrada, e Leonardo é bem cotado para substituir Dorival

  • Por Jovem Pan
  • 09/03/2018 10h24 - Atualizado em 09/03/2018 10h26
DivulgaçãoÚltimo clube de Leonardo foi o Antalyaspor, da Turquia. Ele ficou apenas três meses no clube

Ex-jogador do clube, identificado com a torcida e com experiência no futebol europeu, Leonardo é o favorito da diretoria do São Paulo para substituir o demitido Dorival Júnior. De acordo com informações do repórter Marcio Spimpolo, da Rádio Jovem Pan, o ex-lateral-esquerdo de 48 anos “é muito bem visto” dentro do clube e tem o perfil que agrada à alta-cúpula tricolor.

Pesam a favor de Leonardo a experiência em cargos elevados na Europa (ele foi dirigente em Milan e PSG) e também a boa relação com Raí, atual diretor-executivo de futebol e seu companheiro de São Paulo e Seleção Brasileira no início dos anos 90. O fato de ter um passado campeão no clube (ele conquistou Paulista, Brasileiro e Mundial com a camisa tricolor) também agrada.

Contra o ex-lateral-esquerdo, por sua vez, pesa a pouca rodagem como treinador. Ele comandou apenas três equipes na carreira: Milan, Internazionale e Antalyaspor-TUR. Teve 47% de aproveitamento e durou apenas uma temporada na equipe rossonera, em 2009/10; foi campeão da Copa da Itália, mas também não passou de um ano na Inter, em 2010/11; e permaneceu apenas três meses no time turco. Seria, portanto, uma aposta.

Leonardo está sem clube desde 7 de dezembro, dia em que foi demitido do Antalyaspor. Ele ficou somente três meses no cargo e foi desligado com a equipe ocupando a 14ª posição do Campeonato Turco, após somar apenas 13 pontos em 14 rodadas.

Na ocasião, o Antalyaspor não revelou o motivo da demissão, mas, de acordo com o jornal Corriere dello Sport, da Itália, Leonardo deixou o clube por causa de uma grande crise política, que também resultou na saída do presidente Ali Safak Öztürk.

Por enquanto…

Enquanto não define o nome do novo treinador, o São Paulo será comandado por André Jardine, técnico do time sub-20 e integrante da comissão técnica profissional. Efetivá-lo em caso de sucesso como interino não está fora de cogitação.

Livres no mercado, Vanderlei Luxemburgo, Diego Aguirre e Cuca correm por fora.

andré jardine