São Paulo decepciona novamente, empata com o Talleres e é eliminado na pré-Libertadores

  • Por Jovem Pan
  • 13/02/2019 23h30 - Atualizado em 14/02/2019 00h03
ANDERSON GORES/AGÊNCIA F8/ESTADÃO CONTEÚDODiego Souza desperdiça uma grande oportunidade para o São Paulo no início do jogo

A participação do São Paulo na Libertadores da América este ano durou apenas dois jogos. O time comandado por André Jardine voltou a decepcionar sua torcida, especialmente os quase 45 mil que compareceram ao estádio do Morumbi na noite desta quarta-feira (13), e não conseguiu reverter a vantagem conquistada pelo Talleres na Argentina, ficando no empate em 0 a 0.

Com o adeus à competição continental ainda na segunda fase preliminar, o Tricolor aumenta a lista de eliminações em confrontos de mata-mata, chegando a 20ª desde a Copa Sul-Americana de 2012, o último título do clube. Além disso, o revés coloca o São Paulo no indesejável grupo dos brasileiros eliminados na pré-Libertadores, que até então contava apenas com Corinthians e Chapecoense.

Fora da principal competição continental, e consequentemente da Copa Sul-Americana, já que via Libertadores da América classificam-se apenas as duas equipes de melhor campanha entre as derrotadas na terceira fase preliminar, além dos oito terceiros colocados da etapa de grupos, resta ao Tricolor a disputa do Campeonato Paulista, pelo qual tem clássico marcado contra o Corinthians neste domingo (17), às 19 horas, em Itaquera.

O jogo

Jardine até tentou. Em busca de uma última solução para um time que não dá liga, o técnico resolveu trocar peças mais uma vez em relação à apresentação anterior e ao jogo da semana passada contra os argentinos. Sem Hudson, suspenso, abriu mão de Jucilei para colocar Willian Farias na contenção do meio-campo. Também sacou Nenê da equipe para apostar em Diego Souza. Na frente, o garoto Helinho voltou à formação, no lugar de Antony.

Nada funcionou. O São Paulo conseguiu passar 135 minutos – 90 da partida de sábado, contra a Ponte Preta, mais 35 desta quarta – sem acertar um chute no gol do adversário. Na etapa final, Nenê substituiu Helinho. Quando a torcida viu que uma segunda alteração seria a troca de um lateral (Bruno Peres) por um volante (Araruna), xingou Jardine de “burro”, algo que se repetiria em diversas ocasiões na noite.

A dez minutos do fim, Everton ainda acertou uma solada na testa do adversário Enzo Días. Vermelho direto e pouca reclamação dos são-paulinos. A torcida do Talleres acendeu e cantou alto. A do São Paulo se calou. O único grito de gol em uma noite na qual a equipe da casa precisava de ao menos dois veio aos 38, mas Nenê estava em posição de impedimento quando completou cruzamento de Diego Souza.

Com informações de Agência Estado