São Paulo fica no empate contra o Ferroviária e vê classificação ameaçada

  • Por Jovem Pan
  • 10/03/2019 10h12
NEWTON MENEZES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOHernanes salvou o São Paulo de derrota

O São Paulo voltou a tropeçar na noite desde sábado (9). A equipe de Vagner Mancini, que havia encerrado um sequência de três jogos sem vitória na rodada passada, ficou no empate de 1 a 1, no Pacaembu, contra o Ferroviária. Agora, o Tricolor, que ocupa o segundo lugar no seu grupo, vai brigar com Ituano e Oeste pela vaga nas quartas de final do Paulistão.

Na próxima rodada, o time vai enfrentar o Palmeiras no Pacaembu – a mudança foi confirmada neste sábado após novas chuvas que caíram no Morumbi, que seria o local do clássico. Na rodada final, encara o São Caetano fora de casa.

No começo do jogo, o São Paulo procurou marcar forte a saída de bola e apostar na velocidade para armar seus ataques. Características que o time não conseguiu apresentar nos últimos jogos. A pressão nos zagueiros deu resultados, e o time de Araraquara errava bastante. Para exercer essa pressão, o técnico interino Vagner Mancini escalou Carneiro no lugar de Helinho.

O técnico interino Vagner Mancini decidiu manter o esquema com três zagueiros, que havia funcionado na vitória sobre o Bragantino, na última rodada. Outra mudança importante foram os chutes de fora da área. Antony e Carneiro não tiveram medo de arriscar.

A Ferroviária não se intimidou, também pressionou e justificou a sequência de quatro jogos de invencibilidade. O time conseguia trabalhar a bola no campo do São Paulo, apostando nas viradas de jogo e no apoio dos laterais. Um time bem armado que aproveitou os espaços e a marcação frouxa do meio-campo tricolor. Assim, conseguiu duas grandes chances em sequência, aos 14 e 15 minutos, que exigiram boas defesas do goleiro Tiapo Volpi.

Sempre jogando pelos lados e com grande volume de jogo, o time de Araraquara abriu o placar com um golaço. O meia Léo Artur percebeu Volpi um pouco adiantado e chutou por cima, encobrindo o goleiro. Em uma jogada isolada, o São Paulo quase conseguiu o empate. Após cruzamento, a bola passou por todo mundo e quase entra.

Para corrigir os problemas de marcação no meio, Mancini dissolveu o esquema com três zagueiros: Anderson Martins saiu para a entrada de Helinho. A intenção era bloquear os espaços pelos lados. Do ponto de vista defensivo, a mudança deu certo. Ofensivamente, o time criou pouco e continuou parando na defesa de Araraquara.

Com problemas para se organizar coletivamente, o time foi salvo pela qualidade individual de Hernanes. Mesmo com uma atuação discreta e ainda sem ritmo, ele conseguiu o empate em uma jogada toda sua. Ele driblou e chutou de perna esquerda, rasteiro e colocado. Foi seu segundo gol no Campeonato Paulista.

Animado, o time quase conseguiu a virada após novos cruzamentos. A primeira destas oportunidades foi com Gonzalo Carneiro, que acertou cabeçada no travessão, e a outra foi com Helinho, por cima. Jogadas individuais de Helinho e Antony também criaram bons momentos. O próprio Hernanes desperdiçou a chance do segundo gol, quando chutou para fora um lance em que estava livre.

Nos minutos finais, a equipe teve chances de virar, sempre em lances individuais, mas parou na boa atuação do goleiro Tadeu.

*Com Estadão Conteúdo