Xodó, Souza critica diretoria do São Paulo e lamenta tabu: ‘Eu sempre bati no Corinthians’

  • Por Jovem Pan
  • 18/02/2019 18h26 - Atualizado em 18/02/2019 18h32
Marcos Michael/Estadão ConteúdoO meio-campista Souza jogou no São Paulo de 2004 a 2007. Em quase cinco anos de clube, foi campeão paulista, brasileiro, da Libertadores e mundial

A derrota por 2 a 1 para o Corinthians, no último domingo, em Itaquera, não apenas aumentou a crise no São Paulo como também ampliou um tabu que diz muito sobre o recente enfraquecimento tricolor: em dez jogos na arena alvinegra, o São Paulo soma absurdas sete derrotas e três empates. O fato de nunca ter visto o time de Morumbi vencer no novo estádio corintiano entristece um dos maiores xodós da história do clube.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, Souza, que foi campeão mundial, da Libertadores e bi brasileiro com a camisa são-paulina, lamentou a crise tricolor e creditou à “má gestão” da diretoria a maior parcela de culpa pelos mais de cinco anos sem títulos do clube.

“Nos quase cinco anos em que fiquei no São Paulo, eu sempre bati no Corinthians, né? Tive apenas uma derrota… Então, é muito triste ver essa situação atual”, lamentou Souza, que, em nove Majestosos, acumula três vitórias, cinco empates e somente uma derrota contra os alvinegros.

“Na minha opinião, o principal problema do São Paulo é a falta de planejamento. Não vou entrar no mérito de falar que fez contratações equivocadas, mas contra fatos não há argumentos. O clube esperava muito desses jogadores que contratou nos últimos anos, mas eles não estão rendendo”, analisou.

“A diretoria está deixando a desejar em algumas coisas. Eu nunca vi, por exemplo, o São Paulo trocar tanto de treinador como tem trocado. Isso só prejudica, porque você não tem uma identidade… Pode colocar quem for que, se não tiver um planejamento e não deixar a pessoa trabalhar, não vai dar certo”, acrescentou.

O meio-campista relembrou até mesmo a conturbada saída de um ex-companheiro de time para justificar o que classificou como “mau planejamento” da alta-cúpula do São Paulo. Segundo Souza, os dirigentes tricolores têm de se preocupar em “fazer futebol, e não política”.

“Você vê o Rogério Ceni… Demitiram um cara que é ídolo, não deixaram o cara trabalhar, e ele fez um grande trabalho no Fortaleza”, afirmou. “Hoje, para se trabalhar no Brasil, um presidente não tem de fazer política, ele tem de fazer futebol. Credito muito dessa fase do São Paulo à má gestão, ao mau planejamento e a escolhas erradas. Por isso o torcedor está sofrendo. Jogar no São Paulo não é para qualquer um”, finalizou.

Souza atuou no São Paulo de 2004 a 2007. Em quatro anos de clube, foi importante nas conquistas dos títulos do Campeonato Paulista (2005), Campeonato Brasileiro (2006 e 2007), Copa Libertadores da América (2005) e Mundial de Clubes da Fifa (2005). Hoje com 40 anos, atua no modesto Bagé, da segunda divisão do Rio Grande do Sul.