Sede da próxima Copa do Mundo de futebol feminino será anunciada em 25 de junho

  • Por Jovem Pan
  • 15/05/2020 18h39 - Atualizado em 15/05/2020 18h49
EFEFatma Samoura, secretária-geral da Fifa

O Brasil é um dos finalistas para sediar a Copa do Mundo feminina de 2023, e nesta sexta-feira, a Fifa anunciou que vai adiar a data da escolha, que aconteceria em Addis Ababa, capital da Etiópia.

A reunião, que seria em junho, foi adiada para 25 de junho, e deve ser realizada de forma online. Colômbia, Japão, Austrália e Nova Zelândia são as concorrentes do Brasil na disputa.

Fatma Samoura, secretária-geral da Fifa, falou sobre o orçamento que deve ser empenhado na competição. “A FIFA continua comprometida com a implementação do processo de licitação mais abrangente, objetivo e transparente da história da Copa do Mundo Feminina da FIFA. Isso faz parte do nosso compromisso geral com o futebol feminino que, entre outras coisas, verá a FIFA investir US $ 1 bilhão no futebol feminino durante o ciclo atual”, disse.

A próxima Copa vai se assemelhar ao modelo atualmente adotado pelo futebol masculino. Serão 32 seleções, e não mais 24. O processo de votação das sedes será aberto, e o público poderá acompanhar pelo site da entidade.

Caso o Brasil vença, pretende realizar a grande final no Maracanã, tal como em 2014 e 1950. As outras cidades-sede seriam Belo Horizonte, Brasília, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.