Seleção crê que Neymar ficará melhor na Copa América do que estava na Copa

  • Por Jovem Pan
  • 28/02/2019 14h00 - Atualizado em 28/02/2019 14h00
Pedro Martins / MoWA PressNeymar deve jogar pelo PSG antes de se apresentar à Seleção

A comissão técnica da Seleção Brasileira está otimista com a recuperação do atacante Neymar. Segundo o preparador físico Fábio Mahseredjian, o jogador vai se apresentar para disputar Copa América melhor do que estava antes da Copa do Mundo, quando sofreu uma lesão parecida com a atual.

Mahseredjian diz ter contato frequente com o preparador físico pessoal de Neymar, Ricardo Rosa, que também integra o trabalho na seleção brasileira, para acompanhar a evolução do tratamento fisioterápico, assim como ter informações da carga de trabalhos físicos submetidas ao atacante.

“Acreditamos que na apresentação à Copa América ele já vai ter jogado de quatro a seis partidas pelo Paris Saint-Germain e estará em melhores condições físicas do que foi na Copa do Mundo de 2018”, disse, nesta quinta, na entrevista coletiva após a convocação da seleção para amistosos no próximo mês, contra o Panamá e República Checa.

A seleção vai se reunir em março sem a presença do atacante. A previsão dos médicos é de Neymar retornar a atuar em abril, um mês antes da convocação final para a Copa América. A equipe do técnico Tite deve ser reunir no fim de maio na Granja Comary, em Teresópolis, para iniciar a preparação para o torneio, que começará em 14 de junho.

No ano passado, o atacante só se recuperou totalmente da lesão e voltou a atuar a cerca de duas semanas da estreia na Copa do Mundo. O camisa 10 da seleção ganhou chance de entrar em campo em amistosos contra a Croácia e Áustria. Na Rússia, Neymar participou dos cinco jogos do Brasil e marcou dois gols: um diante da Costa Rica e outro na partida com o México.

O técnico Tite contou que em viagem recente à Europa para analisar jogos e observar jogadores, procurou se reunir com Neymar em Paris, porém não comentou assuntos sobre a seleção brasileira. “Nós fizemos uma visita de caráter mais humano e solidário”, explicou o treinador.

Com Estadão Conteúdo