Sob comando de Vinícius Júnior, Flamengo bate o Bangu e segue 100% no Carioca

  • Por Estadão Conteúdo
  • 24/01/2018 22h00 - Atualizado em 24/01/2018 22h24
Gilvan de Souza/FlamengoVinícius Júnior comemora o gol marcado por Lincoln na vitória do Flamengo sobre o Bangu

Em mais uma noite inspirada de Vinícius Júnior, o Flamengo venceu o Bangu por 1 a 0, nesta quarta-feira (24), no estádio Luso-Brasileiro, no Rio de Janeiro. O resultado manteve o clube com 100% de aproveitamento no Grupo B da Taça Guanabara – o primeiro turno do Campeonato Carioca -, após três rodadas, na semana em que se prepara para o seu primeiro clássico da temporada. Neste sábado, às 17 horas, enfrenta o Vasco no Maracanã, também no Rio, com mando de campo dos rubro-negros.

O Flamengo ainda é o líder do Grupo B, com nove pontos e quatro gols marcados. O Bangu vem logo atrás, com apenas quatro, igualado com a Cabofriense. O Vasco é apenas o quarto, com três pontos. Nova Iguaçu e Volta Redonda dividem as últimas posições, com um ponto cada.

Assim como nos últimos jogos, o motorzinho do Flamengo era Vinícius Júnior. O atacante abusava da velocidade pelas pontas e com apenas seis minutos já buscava jogada individual em cima de Magno, mas não encontrou ninguém na grande área para cruzar.

Em um time recheado de jogadores da categoria de base, a experiência aos poucos foi fazendo a diferença. Com 28 minutos, Lucas Paquetá fintou Guilherme e arriscou a finalização, mas mandou para fora. Aos 34, Lincoln lançou Vinícius Júnior, o zagueiro Michel errou o bote e deixou o atacante frente a frente com o gol, mas a arbitragem assinalou o impedimento e paralisou o lance.

No minuto seguinte, aos 35, Vinícius Júnior passou por três jogadores do Bangu e bateu cruzado, deixando Lincoln na segunda trave em condições perfeitas de apenas escorar diante de um gol aberto, para finalmente abrir o placar.

Com apenas seis minutos do segundo tempo, no primeiro lance real de perigo, Ronaldo lançou Vinícius Júnior, o atacante travou seu duelo particular com Michel, fintou o zagueiro e ficou em condições de marcar, mas bateu em cima do goleiro Célio. Conforme o tempo foi passando, o Flamengo foi caindo de rendimento. O técnico Paulo César Carpegiani recuou a linha de marcação e soltou mais os jogadores de frente para buscar as jogadas individuais.

Quando finalmente conseguiu orquestrar um ataque, o Bangu assustou o torcedor rubro-negro. Nilson lançou Almir nas costas da marcação e o meia tocou por cima de Gabriel Batista, encobrindo o goleiro. Quando saiu para comemorar, a arbitragem assinalou o impedimento e invalidou o que seria o gol de empate.
O Flamengo seguiu apostando na individualidade de Vinícius Júnior, que não tinha dificuldade para ganhar dos zagueiros adversários.