STJD nega pedido do Flamengo, e jogo contra o Palmeiras está mantido

Após surto de covid-19 no elenco, rubro-negro tentou adiar a partida; presidente do Tribunal relembrou casos em que a mudança de data também não foi permitida para justificar decisão

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2020 19h55
Reprodução/FlamengoPrimeiros jogadores do Flamengo foram diagnosticados ainda no Equador, durante a rodada da Libertadores

O presidente do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), Otávio Noronha, negou o pedido do Flamengo, e a partida contra o Palmeiras, no próximo domingo, 27, às 16h, válida pela 12ª rodada do Campeonato Brasileiro, está mantida. O rubro-negro enviou documento ao Tribunal após um surto de covid-19 atingir o elenco, comissão técnica e diretoria desde o início da semana.

No despacho, Noronha afirma que a justificativa do clube, de que não seria possível montar a lista de relacionados ou proporcionar um ambiente seguro para o staff do clube “desprende-se totalmente da realidade ostentada pelo reconhecidamente mais abastado Clube da atualidade no Brasil, o mais recente campeão Nacional e das Américas”. O documento também lembra dos casos do Palmas-TO e da Caldense-MG, que se estrearam na Série D no último fim de semana enfrentando o mesmo problema. O time do Tocantins teve que entrar em campo mesmo após a confirmação de oito casos no elenco. Os mineiros tiveram o mesmo número de infectados, buscou apoio da CBF e do STJD, mas a partida aconteceu. Com apenas 13 jogadores relacionados, o time perdeu por 3 a 1.

“No último fim de semana, na oportunidade em que apreciei o requerimento de liminar nas Medidas Cautelares autuadas sob os nº 171/2020 e 172/2020, intentadas, respectivamente, pelo Palmas e pela Caldense em casos análogos ao presente, indeferi a medida vindicada, por não vislumbrar qualquer ilegalidade na decisão da Confederação Brasileira de Futebol ao manter a data de realização das partidas aprazadas para aqueles Clubes da Série D do Campeonato Nacional”, escreveu o presidente.

A postura adotada pela diretoria rubro-negra durante as discussões pelo retorno do futebol no país também foram lembradas. Noronha classificou a retomada das atividades no futebol como “controversa”, mas reforçou que foi apoiada pelo Flamengo. “É público e notório para aqueles que acompanham o Futebol, dentre as Agremiações que sempre perseguiram, o quanto antes, a volta dos Campeonatos, o próprio Flamengo sempre ocupou posição de protagonismo”, afirma, dizendo, inclusive, que embora não conteste os infectologistas consultados pelo rubro-negro que endossaram a necessidade do adiamento, o médico do clube, Márcio Tannure, participou ativamente das discussões acerca do protocolo da CBF.

“Malgrado não se desconheça, e sequer se discuta a posição externada pela Infectologista contratada pelo FLAMENGO para emitir o Parecer juntado aos autos recomendando a suspensão das atividades do seu Elenco, não se pode olvidar que, lado outro, também a Confederação Brasileira de Futebol, consultou os mais renomados profissionais, dentre os quais, inclusive o Chefe do Departamento Médico do Clube de Regatas do Flamengo, Dr. Márcio Tannure, para firmar um Protocolo previamente aprovado, e em pleno vigor, donde não constou nenhuma recomendação no sentido de se suspender as atividades daqueles Clubes que se depararem com contaminação em série em seu elenco.”

Segundo o STJD, o adiamento do jogo “prejudicaria o adiamento da competição”. Desde o início da semana, o Palmeiras se posicionou contra a mudança de data. Embora o Sindicato dos Atletas também tenha se posicionado a favor da causa, os próprios jogadores do alviverde manifestaram a vontade de entrar em campo.