Tem só 18? Maduro, xodó do São Paulo ama estudar e sonha com faculdade e casório

  • Por Jovem Pan
  • 02/02/2018 15h23 - Atualizado em 02/02/2018 15h31
Célio Messias/Estadão Conteúdo toró, são paulo Toró marcou seis gols e ajudou o São Paulo a chegar à final da última edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior

“Eu tenho consciência de que há a vida dentro e a vida fora de campo… E, por isso, sei que tenho de estar bem em ambas, com a cabeça boa e os estudos em dia…”. 

Jonas Toró é um sujeito diferenciado. Maduro aos 18 anos, o destaque do São Paulo na última edição da Copinha chama a atenção pelo que faz com e sem a bola nos pés. O atacante nascido em Belém de São Francisco, interior de Pernambuco, não quer apenas estourar como jogador… Amante dos estudos, o novo xodó da base tricolor sonha em fazer faculdade e construir uma família. 

“Eu pretendo terminar os meus estudos, fazer uma faculdade e, ao mesmo tempo, manter a carreira de jogador. Eu gosto tanto de jogar bola quanto de estudar. Já estou acostumado com a correria de conciliar as duas coisas, então, para mim, vai ser tranquilo”, afirmou Toró, em entrevista exclusiva a Marcio Spimpolo que vai ao ar no próximo Plantão de Domingo, na Rádio Jovem Pan. 

A maturidade do jovem atacante também se manifesta quando o assunto é o coração. Namorando há cerca de dois anos com Elinha, uma menina que conheceu ainda em Pernambuco, Toró sofre com a saudade pelo relacionamento à distância, mas tem certeza do que quer para o futuro. 

“Eu estou namorando e, com fé em Deus, vou noivar e construir a minha família, porque a família é o alicerce de tudo, e eu pretendo ter a minha. Sempre tem essas coisas de assédio e tudo, mas eu procuro manter a minha cabeça no lugar”. 

Toró e Elinha

Assalto por pouco não custou carreira de jogador 

Se hoje brilha nas categorias de base do São Paulo e é tratado como xodó do time que vai disputar a Libertadores Sub-20, Toró por pouco não desistiu da carreira de jogador. Autor de seis gols na última Copinha (e mais seis na edição de 2017, quando jogou pelo Primavera-SP), o atacante sofreu um assalto traumático há dois anos, quando ainda atuava pelo Comercial de Salto-SP. 

Bandidos invadiram o alojamento do clube e roubaram chuteiras, notebooks, celulares e outros pertences. Alguns jogadores foram amarrados e se viram com armas na cabeça. “Foi um momento muito difícil para mim e para os meus amigos. Todos os meninos ficaram aterrorizados, e eu confesso que bateu uma dúvida: ‘será que é isso mesmo que eu quero para mim?’. Mas eu persisti, lutei, trabalhei e Deus tem me recompensado.” 

Toró pertence ao Primavera-SP e tem contrato de empréstimo com o São Paulo até março de 2019. Até lá, quer ser contratado em definitivo para retribuir o carinho da torcida. “Eu pretendo fazer história com a camisa do São Paulo. Esse é um desejo meu. Estou muito feliz no clube e só tenho a agradecer à torcida por tudo. Se Deus quiser vou conseguir retribuir esse carinho”. 

A entrevista exclusiva de Toró a Marcio Spimpolo vai ao ar no próximo Plantão de Domingo, na Rádio Jovem Pan. 

Toró, são paulo