Tite chama Cássio “pela regularidade” e diz avaliar ao menos seis goleiros para Copa

  • Por Estadão Conteúdo
  • 10/08/2017 13h21
Tite trabalhou com Cássio durante passagem pelo Corinthians

Como era aguardado, o técnico Tite convocou o goleiro Cássio para os dois próximos jogos do Brasil nas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa de 2018, diante do Equador, no próximo dia 31, na Arena Grêmio, em Porto Alegre, e Colômbia, em 5 de setembro, fora de casa, em Barranquilla. O jogador do Corinthians foi a única novidade no gol, já que o treinador chamou novamente Alisson, da Roma, e Ederson, do Manchester City. Apontados como selecionáveis, Vanderlei, do Santos, e Diego Alves, do Flamengo, ficaram de fora.

O goleiro da Roma desponta como favorito para ser o titular na Copa, mas Tite assegura que pelo menos seis jogadores ainda brigam pelo posto. “Unanimidade não vai ter nunca. Tem seis ou sete goleiros que estamos acompanhando in loco. Weverton (Atlético-PR), Vanderlei (Santos), Diego (Alves, do Flamengo)”, enumerou Tite.

A escolha pelo goleiro do Corinthians se deu pelo regularidade não apenas na temporada, mas também nos últimos anos. “O Cássio se credenciou a essa situação, pelo desempenho e pela regularidade dos últimos quatro ou cinco anos”, comentou o treinador. Ele lembrou que chegou a colocar Cássio na reserva quando treinava o Corinthians, mas o goleiro conseguiu recuperar a melhor forma e retomar a titularidade.

Sobre Alisson, que vem sendo o titular da Seleção desde que Tite assumiu a equipe – coincidentemente diante do Equador, há quase um ano -, o técnico diz que o desempenho pelo Brasil o credencia. “O Alisson, comigo, em todos os jogos foi de grande importância. Não lembro de um lance que tenha falhado. Lembro da bola contra a Argentina que ele pegou. Contra o Equador, com o atacante do Grêmio, o Bolaños, e ele salvou”, lembrou o treinador.

Tite revelou ainda que conversou com o goleiro sobre sua situação na Roma. O ex-jogador do Inter vinha sendo reserva na temporada passada, o que causava certa preocupação pelo fato de não estar atuando.

“Sobre o Alisson, eu conversei com ele no final da temporada. Eu falei ‘Alisson, agora eu me permito (aconselhar), porque não é trairagem, sacanagem, procurar teu técnico, tua direção e perguntar qual é o teu projeto daqui pra frente. Se é pra permanecer no banco talvez seja melhor ir para um clube que tenha oportunidade’, e não no meio da temporada, onde você vai forçar uma barra, que pra equipe, na linguagem da bola, é trairagem, sacanagem”, disse Tite. Segundo ele, o goleiro teve sinalização positiva de que terá mais chances no clube.