Tite se surpreende com atuação de Neymar em amistoso: ‘Acima da expectativa’

Depois de três meses sem jogar, Neymar fez um gol e deu uma assistência no empate do Brasil com a Colômbia

  • Por Jovem Pan
  • 07/09/2019 10h46
EFE/Giorgio VieraNeymar voltou aos gramados nesta sexta-feira (6), em jogo do Brasil contra a Colômbia

O técnico Tite se surpreendeu com a atuação de Neymar no amistoso da seleção brasileira contra a Colômbia. Após três meses sem jogar, o atacante deu uma assistência e marcou o segundo gol do Brasil no empate por 2 a 2, nesta sexta-feira (6), nos Estados Unidos. A previsão do treinador era substituir o astro no segundo tempo, mas ele permaneceu em campo durante os 90 minutos.

“Foi acima da minha expectativa. Conversamos que a partir dos primeiros 45 minutos iríamos monitorar o atleta porque dá para perceber quando o atleta pensa e não consegue executar. Mas foi passando o tempo e ele continuou conseguindo. Então, me surpreendeu”, afirmou Tite, em entrevista coletiva após o amistoso.

A última partida de Neymar havia sido disputada no dia 5 de junho, no amistoso da seleção brasileira com o Catar. O atacante sofreu uma lesão no tornozelo direito e desfalcou o time canarinho na Copa América. Recuperado, ele não atuou pelo Paris Saint-Germain, da França, neste início de temporada europeia porque negociava para voltar ao Barcelona, da Espanha.

Para Tite, o desempenho de Neymar nos treinamentos explica por que ele conseguiu ter boa atuação mesmo após três meses sem jogar. “Ele já estava pronto para jogar há dez dias. Mostrou que treina sério, forte. Eu acredito que um atleta de alto nível treina parecido com o que é no jogo. Só tem a diferença da atmosfera do jogo, o aspecto emocional. O resto tem que ser muito parecido. Ele tem essa característica. Aliás, a equipe toda tem essa característica. Consequentemente, ele entra para o jogo mais pronto. Agora é um desafio para o próximo jogo, porque no segundo sente um pouco mais a parte física”, disse o treinador.

Tite também comentou sobre o abraço que recebeu de Neymar após o gol. O técnico disse ter uma “relação de lealdade e transparência” com o jogador e evitou falar o que ouviu do atleta durante a comemoração. “Talvez ali foi o simbolismo da nossa relação. Ele foi e falou no meu ouvido o que tinha que falar, e eu falei para ele manter a concentração”, desconversou o comandante.

O segundo amistoso que o Brasil realizará será na próxima terça-feira (10), contra o Peru, em Los Angeles, nos Estados Unidos. A delegação está de folga até a tarde deste sábado (7), quando embarca de Miami para a outra cidade norte-americana.

*Com Estadão Conteúdo