VAR da final da Supercopa do Brasil ficará na sede da CBF

  • Por Jovem Pan
  • 07/02/2020 15h11
CELSO PUPO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOVAR

A final da Supercopa do Brasil, entre Flamengo e Athletico Paranaense, campeões do Brasileirão e da Copa do Brasil, respectivamente, no próximo dia 16 de fevereiro, no Mané Garrincha, pela primeira vez terá o árbitro de vídeo na sede da Confederação Brasileira de Futebol (CBF). A informação é do GloboEsporte.com.

Até o ano passado, a cabina do VAR ficava dentro do estádio onde as partidas estavam sendo disputadas. A ideia da Confederação a partir do Brasileirão deste ano é que o “QG” do VAR fique sediado dentro do prédio da CBF, no Rio de Janeiro. A Supercopa do Brasil será o primeiro teste neste formato na América do Sul.

Leonardo Gaciba, chefe da arbitragem da CBF, explicou que a intenção “é realmente evoluir para esse lado”.

“Nós estamos fazendo alguns testes com fibra de vídeo. Nós vamos fazer a transmissão do jogo, em Brasília, com os árbitros de vídeo no Rio de Janeiro, dentro da sede da CBF. Através de fibra ótica, vamos fazer isso. Com essa VOR (sala de operação de vídeos) centralizada, isso tecnicamente nos daria um ganho muito grande. A nossa intenção é realmente evoluir para esse lado. Algumas checagens vão ser colocadas no ar e mais alguns ajustes que a gente está fazendo para tentar maximizar a ferramenta”, disse durante palestra em João Pessoa, na última quinta-feira (6).

“Os árbitros vão estar olhando as imagens e ajudando os colegas dentro do campo de jogo. Fica mais fácil por uma questão de passar orientações… eles poderem experimentar mais. O cara pode estar escalado no jogo das cinco da tarde e chegar mais cedo na sede da CBF, ocupar uma cabine do lado e ficar acompanhando um jogo às onze da manhã, para que consiga ativar o cérebro, por uma questão que vai conseguir treinar mais, por exemplo, e isso vai dar uma praticidade maior, e a tendência é uma evolução boa. O torcedor vai poder ir lá também, essa é a nossa intenção. Vidro para todo mundo olhar, transparência total”, finalizou Gaciba.