“Veterano” aos 18, Léo Santos vê vídeos de Marquinhos antes de jogos: “é meu ídolo”

  • Por Jovem Pan
  • 26/08/2017 08h00
Zagueiro Léo Santos, 18 anos, é considerado o melhor defensor formado na base do Corinthians desde Marquinhos

Um torcedor mais desatento que observasse Léo Santos em campo na última quarta-feira, durante o importante confronto com a Chapecoense, na Arena Condá, duvidaria da idade do defensor. Quando veste calções, meiões e chuteiras, o jogador do Corinthians disfarça como poucos os 18 anos completados em dezembro. Nascido em 1998, Léo parece um veterano entre as quatro linhas.

“Essa tranquilidade eu mantenho sempre nos meus treinos. Estou no Corinthians desde os 12 anos, então, tive de me acostumar com essa pressão”, afirmou o ainda garoto corintiano, em entrevista exclusiva a André Ranieri, para a Rádio Jovem Pan. “É muito bom jogar no Corinthians. O pessoal sempre me pergunta de onde vem essa tranquilidade, fala que eu pareço um veterano, mas eu não sei explicar. Vem de mim. Eu sempre joguei assim. Não sou gato, não”, acrescentou, aos risos.

A frieza de Léo Santos pode ser simbolizada por um lance: a bola tirada em cima da linha contra a Chapecoense, aos 36 minutos do segundo tempo, quando a partida ainda estava empatada por 0 a 0. O chute de Túlio de Melo, que já havia passado por Cássio, morreu apenas nos pés do zagueiro, centímetros antes de cruzar a linha de meta. Foi, praticamente, o segundo gol de Léo Santos como profissional – ele tem um balanço de rede na carreira, contra a Ponte Preta, no Campeonato Paulista.

“Eu, graças a Deus, pude fazer uma boa partida contra a Chapecoense. Fui feliz na leitura daquele lance. É como eu sempre falo: treinando bem e ouvindo o professor Fábio (Carille) e os meus companheiros, eu sempre vou estar preparado para aproveitar as oportunidades”.

Idolatria por Marquinhos

Léo Santos estreou entre os profissionais do Corinthians na temporada passada, ainda aos 17 anos. Ele tem contrato com o clube até setembro de 2020 e é considerado o melhor defensor formado na base alvinegra desde Marquinhos, que foi vendido à Roma aos 18 anos e hoje brilha no PSG.

As comparações com o hoje zagueiro titular da Seleção Brasileira orgulham Léo Santos, que nutre verdadeira idolatria pelo companheiro de posição. A inspiração é tamanha que o jovem defensor corintiano assiste a vídeos de Marquinhos antes de entrar em campo.

“O meu ídolo é o Marquinhos. Me espelho bastante nele. Gosto muito da maneira como ele joga. Eu tenho alguns vídeos dele no meu celular. Quando tenho um tempo antes dos jogos, sempre dou uma olhada ali no quarto… Isso é bom. Eu gosto de ver como ele faz, como ele se movimenta, como se posiciona…”.

Os contatos com o ídolo, ao menos por enquanto, restringem-se às redes sociais. “Não tenho o telefone dele, mas a gente se segue no Instagram. Sempre que eu posto alguma coisa, ele comenta, manda uma mensagem de apoio… Isso é muito gratificante para mim, porque eu sou muito fã dele”.

Em 2012, o Corinthians lucrou míseros 3 milhões de euros com a venda de Marquinhos à Roma. Uma futura negociação de Léo Santos, no entanto, deve render quantia bem maior aos cofres alvinegros: apesar de não revelar o valor da multa rescisória do zagueiro, o clube é dono de 70% dos seus direitos.

Reprodução/Instagram