Willian vê boa atuação da Seleção e Marcelo lamenta suspensão

  • Por Estadão Conteúdo
  • 01/09/2017 10h45
Willian reconhece que no segundo tempo o Brasil conseguiu rodar mais a bola

O meia Willian avaliou que a Seleção Brasileira fez um bom jogo nas Eliminatórias da Copa do Mundo, na noite desta quinta-feira (31), ao superar o Equador por 2 a 0, na Arena Grêmio, em Porto Alegre. Ele reconhece que o primeiro tempo da equipe não foi dos melhores, porque o Equador se mexeu bem, mas na etapa final conseguiu deslanchar.

“Foi mais um resultado muito importante, a Seleção está numa sequência muito boa”, disse o jogador, em entrevista à TV Globo, referindo-se ao fato de o Brasil ter obtido a nona vitória consecutiva nas Eliminatórias Sul-Americanas.

O jogador do Chelsea, que começou a partida no lugar de Philippe Coutinho (entrou no segundo tempo e a partir daí o time cresceu), entende que a vitória foi construída a partir do momento em que o Brasil conseguiu tocar mais a bola. “O primeiro tempo foi muito difícil, a gente não estava encontrando os espaços. No segundo [tempo], conseguimos rodar mais a bola e fazer os gols”, analisou.

O lateral-esquerdo Marcelo, que foi capitão da Seleção pela primeira vez nesta quinta, afirmou que a partida foi mais uma mostra de como as Eliminatórias são complicadas. “A gente sabe que é muito difícil. O professor (Tite) disse que já começou a Copa e a gente viu isso.”

Marcelo igualmente admitiu que o rendimento da equipe na primeira etapa foi bem abaixo do que normalmente apresenta. “Eles fizeram uma marcação bem fechada e no segundo eles cansaram um pouco e a gente teve mais liberdade”, disse o jogador do Real Madrid.

Nesta noite, Marcelo tomou segundo cartão amarelo – era um dos cinco titulares da equipe que estavam pendurados – e, portanto, não vai jogar a partida de terça-feira, contra a Colômbia, em Barranquilla.

O lateral lamentou, mas disse que quando está em campo não fica pensando se está pendurado ou não. “Quando jogo, só penso em dar o máximo. A gente não pode perder um jogo ou sofrer um gol por causa de um cartão amarelo”, afirmou. “É uma pena (estar suspenso), mas não tem como controlar em campo.”