Goleiro Bruno se apresenta à polícia após decisão do STF

  • Por Jovem Pan
  • 25/04/2017 20h42
UARLEN VALéRIO/O TEMPO/ESTADÃO CONTEÚDOEm pouco mais de dois meses

Horas após o STF revogar o habeas corpus do goleiro Bruno, o atleta do Boa Esporte se apresentou espontaneamente à Delegacia Regional de Polícia Civil da cidade de Varginha. O jogador assinou uma certidão aonde se comprometeu a se entregar em definitivo na manhã desta quarta-feira ao juiz da 1ª Vara Criminal de Varginha e foi liberado logo em seguida, já que seu mandato de prisão ainda não foi expedido.

O goleiro Bruno, que após cumprir seis anos e sete meses de detenção em regime fechado da pena de 22 anos e 3 meses a qual foi condenado em 2013 pela morte e ocultação de cadáver de Eliza Samudio e pelo sequestro e cárcere privado do filho, estava solto desde o final de fevereiro. No entanto, nesta terça-feira, por 3 votos a 1, os ministros do STF revogaram a liminar concedida ao jogador há menos de três meses e decidiram manda-lo de volta à prisão.

Em liberdade, o goleiro Bruno havia acertado vínculo com o Boa Esporte, que atualmente disputa a segunda divisão do Campeonato Mineiro. A contratação gerou polêmica na cidade de Varginha e no futebol brasileiro, dividindo opiniões. O clube, porém, sofreu com a perda de patrocinadores, que rejeitaram o reforço.

Na breve passagem do camisa 1 pelo clube mineiro, o Boa Esporte obteve duas vitórias e dois empates e sofreu uma derrota. Nestes cinco jogos, o goleiro, que se destacou nacionalmente com a camisa do Flamengo antes de ser preso em 2010, sofreu quatro gols com a camisa da equipe mineira.