Governo japonês reforça medidas antiterroristas para Jogos de Tóquio em 2020

  • Por Agencia EFE
  • 19/02/2015 10h09

Tóquio, 19 fev (EFE).- O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, afirmou nesta quinta-feira que reforçará as medidas antiterroristas para a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, após as ameaças feitas contra o Japão pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI).

“Estamos trabalhando com a comunidade internacional para juntar e analisar informação, com o objetivo de identificar com antecedência qualquer sinal de ameaça”, afirmou em discurso na câmara baixa do parlamento japonês.

Além disso, o Japão “reforçou os controles de fronteira para evitar que os terroristas entrem no país” e aumentou a segurança em “infraestruturas importantes” como os aeroportos e outras instalações de transporte, segundo o primeiro-ministro.

Abe se pronunciou ao ser questionado sobre as medidas adotadas pelo governo para garantir a segurança no evento esportivo internacional, depois da recente crise dos reféns.

No dia 20 de janeiro, pouco depois de o primeiro-ministro do Japão anunciar uma doação de US$ 200 milhões para os países que recebem refugiados que fogem do Estado Islâmico, o grupo jihadista exigiu a mesma quantia para não assassinar o jornalista Kenji Goto e ao empresário Haruna Yukawa.

Como as negociações não avançaram, o grupo executou ambos e, em vídeo, acusou Abe de ter entrado em “uma guerra que não pode ganhar” e ameaçou assassinar cidadãos japoneses “onde quer que estejam”.

No discurso desta quinta-feira, o primeiro-ministro do Japão voltou a defender a gestão da crise a cargo de seu gabinete e afirmou que, embora o resultado tenha sido “lamentável”, o trabalho do Conselho Nacional de Segurança foi adequado. EFE