Governo suíço aprova extradição de ex-presidente da Federação Costa-Riquenha

  • Por Agencia EFE
  • 29/09/2015 20h41

(Corrige título, primeiro e quinto parágrafos).

Genebra, 29 set (EFE).- O governo suíço aprovou nesta terça-feira a extradição do terceiro dirigente preso em Zurique, antes do Congresso da Fifa, desta vez aceitando a ida de Eduardo Li, ex-presidente da Federação Costa-Riquenha de Futebol (FEDEFUT), para os Estados Unidos.

Antes do dirigente, foram avaliados os processos referentes ao uruguaio Eugenio Figueredo, ex-presidente da Conmebol e ex-vice-presidente da Fifa, e de Rafael Esquivel, ex-presidente da Federação Venezuelana de Futebol.

Assim como no caso de Li, a extradição foi aprovada, e cada processo está no período de 30 dias para o acusado recorrer à decisão. O ex-presidente da CBF e ex-vice-presidente da Fifa, José Maria Marin, aguarda sua vez de ter a transferência para os EUA analisada.

A prisão do ex-presidente da FEDEFUT foi pedida pela Procuradoria de Nova York e realizada no dia 27 de maio. Li é acusado de ter aceitado suborno de uma empresa americana para facilitar a venda de direitos de marketing para jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018.

Segundo a justiça suíça, que confirmou o cumprimento de todas as condições para permitir a extradição, o dirigente atuou contra a concorrência no mercado de marketing esportivo, distorcendo o mercado de mídia, além de ter privado a Federação Costa-Riquenha de negociar contratos mais vantajosos. EFE