Grave lesão de Alison abre espaço para os garotos no Santos

  • Por Estadão Conteúdo
  • 25/02/2015 18h08

O volante Lucas OtávioLucas Otávio

A decisão já foi tomada: o Santos não vai contratar um volante experiente para suprir a ausência de Alison, que sofreu, pela terceira vez, ruptura do ligamento cruzado anterior do joelho direito, será operado em breve e só deve voltar a jogar em 2016. Mesmo com a possibilidade de trocar até quatro dos 28 jogadores inscritos para o Campeonato Paulista para as fases decisivas, Enderson Moreira optou por apostar no colombiano Valencia (provavelmente estreará domingo, contra o Linense, no Pacaembu), Renato, Elano, Cicinho, Chiquinho, que são mais rodados, e nos novatos Leandrinho, Lucas Otávio e, a partir das quartas de final, também em Thiago Maia.

“Não vamos atrás de volante”, garantiu o CEO e homem forte do futebol, Dagoberto Fernando dos Santos, nesta quarta-feira à tarde. “O Santos não pode mudar agora a lista dos 28 inscritos no Campeonato Paulista e também não vejo necessidade de contratar jogador para a posição porque no nosso elenco o que mais tem é volante”, afirmou o presidente Modesto Roma Júnior.

Antes da confirmação da gravidade da lesão de Alison, Enderson já havia dito que em caso de perda do titular por um longo período seria a oportunidade para a revelação de um jogador da base para a posição. “Nós temos bons jogadores na posição. A gente só lamenta não poder utilizar Thiago Maia agora. Deixamos de dar oportunidade para um menino que poderia jogar. Eu tive que optar entre ele (estava na seleção brasileira sub-20) e Lucas Otávio e tomei uma decisão”, disse Enderson.

Com a lesão de Alison restou apenas Valencia para a função de primeiro volante. Como o companheiro que se lesionou, o colombiano marca forte, dá o primeiro combate e protege a entrada da área. A dúvida é quanto às suas condições físicas. Valencia chegou ao clube em 15 de janeiro e até agora não estreou. Renato, Chiquinho, Cicinho e Leandrinho são jogadores para atuar como segundo volante, menos ligado ao bloco defensivo e que saem mais com a bola. Até o começo do ano eles eram alternativas para o lugar de Arouca (foi para o Palmeiras) e não para substituir Alison. Lucas Otávio foi bom primeiro volante na base, mas tem pouca estatura para ser o volante de contenção no profissional. 

Renato se revezou com Leandrinho na função de primeiro volante, na vitória contra o São Bernardo, mas disse que independente de quem substituir Alison, para ele nada muda. “Meu jeito de jogar continua o mesmo. O time tem uma forma de jogar. O Alison tem outro estilo, com forte poder de marcação, é voluntarioso e que encurta bem os espaços”, afirmou, dando a entender que o substituto de Alison terá de ter, necessariamente, características semelhantes às dele.