Grécia arranca vitória no fim contra a Costa do Marfim e se classifica

  • Por Jovem Pan
  • 24/06/2014 18h57
Samaras marca de pênalti gol salvador que eu a classificação para a GréciaSamaras marca de pênalti gol salvador que eu a classificação para a Grécia

Em um jogo emocionante, a Grécia bateu a Costa do Marfim por 2 a 1 e se classificou para a próxima fase da Copa do Mundo. Tendo abrido o placar e ficado a maior parte do segundo tempo à frente no marcador, o time europeu tomou um susto aos 28 do segundo tempo, com o gol marfinense que o eliminava. Aos 47 minutos, porém, Samaras converteu pênalti que salvou os gregos e eliminou os africanos.

A seleção grega enfrenta agora a Costa Rica na Arena Pernambuco no próximo domingo (29). Já a Costa do Marfim volta para casa mais cedo com apenas uma vitória e duas derrotas, sendo ultrapassada justamente pela Grécia nesta última rodada do Grupo C, que teve a Colômbia como líder.

O time do mar Mediterrânio criou as melhores oportunidades do jogo. Começando mais ofensiva e tendo que vencer para se classificar, a Grécia abriu o placar no final da primeira etapa. Em falha da defesa dos “Elefantes”, Samaris saiu na cara do goleiro Barry e empurrou para a rede.

No desespero, a Costa do Marfim, que estava sendo eliminada, foi para cima dos gregos no segundo tempo, mas encontrava dificuldade na implacavel marcação-pressão europeia. E a Grécia foi quem teve as melhores oportunidades do segundo gol, exigindo boas defesas de Barry. Até que, aos 28 minutos da etapa final, Bony aproveitou bom passe de Gervinho e fez o gol que eliminava a Grécia.

Quando tudo parecia perdido para os europeus e a Costa do Marfim desperdiçava grandes oportunidades de matar o jogo, Samaras, o melhor jogador grego, cavou um pênalti aos 45 e carimbou a classificação do país helênico aos 47, dando a vitória à Grécia em jogo no qual foi melhor.

O jogo

A Grécia começou a partida tomando mais a iniciativa das jogadas. Com boa movimentação do grandalhão Samaras e passes de Maniatis, o time europeu tinha o domínio da bola no meio de campo.

Pelo lado da Costa do Marfim, Drogba, que dessa vez começou jogando, era a principal alternativa de contra-ataque marfinense, junto a seu companheiro de ataque Gervinho.

Com 11 minutos de jogo, o meia grego Kone sentiu dores na lombar e teve que ser substituído por Samaris. Aos 22 minutos, a Grécia perdeu seu segundo jogador por lesão: nada menos que o goleiro Karnezis, trocado por Glykos.

A primeira grande chance do jogo veio apenas aos 32 minutos, quando Samaras puxou bom contra-ataque para a Grécia e tocou na medida para Cholevas, que mandou de primeira de fora da área, fazendo a bola explodir no travessão. Dois minutos depois, o camisa 10 grego Karagounis ameaçou mais uma vez o time africano batendo forte um tiro de falta no canto do goleiro Barry, que agarrou seguro a bola.

Drogba, querendo resolver sozinho mas sem muita eficiência, teve seu excesso de vontade recompensado com um cartão amarelo aos 36, por carrinho perigoso na bola em dividida com Samaris.

Gervinho também buscava o jogo pela Costa do Marfim, assim como Kalou. Depois dos 35 minutos, era o time do litoral africano que tomava mais a iniciativa, mas os marfinenses insistiam demais nas jogadas afuniladas pelo meio, principalmente tabelas, facilitando o trabalho da defesa grega.

Quando parecia que o primeiro tempo terminaria como começou, a zaga da Costa do Marfim deu bobeira, Samaris roubou a bola, tabelou com seu quase xará Samaras e recebeu na cara do gol para tocar na saída de Barry e abrir o placar. Foi o primeiro gol da Grécia nesta Copa do Mundo, que, com o resultado, se classificava para a segunda fase, uma vez que ao mesmo tempo o Japão perdia para a líder Colômbia no outro jogo do grupo.

Aos 44 minutos, Yaya Touré ainda tentou descontar em jogada individual, ao passar por dois marcadores e chutar a bola em cima da defesa europeia.

O segundo tempo começou com os papéis invertidos. Tendo que correr atrás do placar, os “elefantes” da Costa do Marfim partiram para cima dos gregos, que se posicionavam prontos para o contragolpe.

A primeira grande oportunidade da segunda etapa, entretanto, veio com a Grécia novamente. Lazaros Christodoulopoulos partiu no mano-a-mano com o zagueiro, fez bom corte para o meio e chutou de bico visando ao canto direito de Barry, mas errando o alvo. Lazaros desperdiçou, assim, grande chance de ampliar o marcador.

Aos 13 minutos, mais um bom momento da Grécia, em passe de Samaras e chute forte de fora da área de Salpingidis, obrigando boa defesa do goleiro marfinense.

Três minutos depois, a Grécia mais uma vez chegou em rápido contra-ataque. Torosidis sairia na cara do gol, quando Kalou voltou no desespero, levou o drible e agarrou o meia grego para parar a jogada. O marfinense levou apenas o amarelo. Na cobrança de falta, Karagounis chutou forte na barreira.

Aos 21 minutos, quase a reação dos Elefantes. Kalou fez bela jogada individual pela esquerda, deixando dois marcadores gregos na saudade e arriscando dhute colocado do bico esquerdo da área.

Os gregos, porém, não queriam perder o domínio do jogo e levavam muito mais perigo em suas contra-ofensivas. Um minuto depois, Karagounis, livre, arriscou mais um chute da intermediária e, com muita força, acertou caprichosamente o travessão.

Lazaros, aos 25, quase ampliou novamente em boa cobrança de falta, que fez a bola passar perto demais do ângulo direito de Barry, vencido na jogada.

Contudo, a máxima “quem não faz leva” prevaleceu e a vontade marfinense superou o futebol eficiente grego. Bom passe de Kalou para Gervinho desmontou a defesa grega. O atacante, dentro da área, apenas rolou de esquerda para Bony fuzilar de destra o canto direito de Glykos e empatar o jogo.

Festa marfinense em Fortaleza. Era a vez dos europeus tomarem a iniciativa do ataque e ocuparem o meio de campo, uma vez que a Grécia estava sendo eliminada com a derrota.

Com o resultado favorável, o técnico Sabri Lamouchi decidiu sacar o craque do time, Didier Drogba, que não fez grande partida, para colocar o volante Diomandé e reforçar a defesa.

Aos 34 minutos, uma cobrança de falta esquisita de Torosidis quase colocou a Grécia novamente na frente, quando uma bola aparentemente cruzada bateu na primeira trave de Barry.

Parecia que os dois times jogavam melhor no contra-ataque, pois, quando a Grécia foi para o “abafa” final na busca do gol da vitória, a Costa do Marfim é quem teve as melhores oportunidades com Bony, Kalou e Touré, que inclusive se enrolou com a bola em bom contragolpe aos 44.

Quando tudo parecia decidido para a Costa do Marfim, a Grécia encontrou um pênalti salvador. Samaras se preparava para o chute na entrada da área e sentiu o toque por trás, no pé, de Sio. O meia grego, que foi considerado o melhor jogador da partida, bateu forte no canto esquerdo do goleiro Barry, que até acertou o canto, mas não a bola.

Samaras deu números finais à partida e correu para o abraço de seus companheiros sob a forte emoção que tomava o Castelão, em Fortaleza. Dois a um e a classificação grega assegurada para as oitavas de final.

A Grécia agora enfrenta a Costa Rica no próximo domingo (29), em Pernambuco. A Costa do Marfim de Didier Drogba está fora da Copa.