Guga avalia que boa fase de Feijão pode estimular Bellucci

  • Por Estadão Conteúdo
  • 19/02/2015 18h15
RJ - TÊNIS/RIO CHAMPIONS - ESPORTES - O ex-tenista brasileiro Gustavo Kuerten (c) mostra o troféu, homenagem aos 10 anos em que se manteve o número 1 do mundo, durante o Rio Champions 2010, torneio de tênis Master, realizado no Maracanãzinho, Rio de Janeiro, nesta sexta-feira. 12/03/2010 - Foto: CELSO PUPO/FOTO ARENA/AE AE Guga levanta prêmio comemorativo aos 10 anos da vitória no Masters Cup de Lisboa

Principal nome do tênis nacional, Gustavo Kuerten, o Guga, afirmou nesta quinta-feira que o brasileiro Thomaz Bellucci precisa melhorar a forma de jogo para poder sonhar com melhores posições no ranking. Segundo o ex-jogador, que está acompanhando a disputa do Rio Open durante esta semana, a concorrência para ser o Top 1 do Brasil entre Bellucci e João Souza, o Feijão, pode ajudar a carreira de ambos. 

Bellucci teve uma estreia frustrante no Rio Open e corre o risco de ser ultrapassado por Feijão no ranking da ATP e, assim, perder o título de brasileiro melhor posicionado na lista do tênis mundial. 

“O Bellucci tem de melhorar muito o jogo dele. A forma que ele joga. Porque o tenista pode saber bater com a direita, com a esquerda, e sacar bem. Mas, às vezes não sabe o que fazer com isso e a hora”, disse Guga, que, no entanto, vê muito potencial no tenista. “Ele tem muito espaço para evoluir, para ser vitorioso, se recuperar. É questão de prática. Se for buscar no histórico, ele já esteve entre os trinta e é novo, pode amadurecer.”

Feijão, por sua vez, tem realizado uma boa campanha no torneio carioca – após vencer duas partidas, está nas quartas de final. Antes, foi semifinalista do Brasil Open em São Paulo. 

“Acho que essa provocação de disputar com o Feijão pode ajudar. Assim como eu era com o Fininho (Fernando Meligeni). Um faz o outro acreditar. O Bellucci se conseguir melhorar, pode ser um top 10. Mas, precisa quebrar paradigmas”, considerou.