Guilherme ignora críticas e até gols. Ele vai insistir na “posição Renato Augusto”

  • Por Jovem Pan
  • 12/04/2016 18h36
Guilherme mostrou estar confiante em suas primeiras palavras como jogador do Corinthians

Guilherme “nasceu” para o futebol nacional como atacante incisivo, que rondava a área e fazia gols. Nas Seleções Brasileiras de base, por exemplo, chegou até a atuar como centroavante. Mas o tempo passou, e o jogador deu cada vez mais passos para trás. Não na carreira, que segue ativa e em um time vencedor, mas no campo. Depois de atuar como meia-atacante no Atlético-MG, o atleta agora ocupa uma posição na qual nunca havia jogado antes. 

Guilherme tem trabalhado como “meia-armador-marcador” do Corinthians pelo lado esquerdo. Não entendeu nada? Trata-se da mesma função que era exercida por Renato Augusto no consagrado 4-1-4-1 alvinegro do ano passado. Malcom jogava como extremo (ou meia mais aberto) pela esquerda, e Renato fazia às vezes de articulador por dentro, bem ao lado do jovem e também pela faixa canhota do campo.  

Esta posição exigia que Renato Augusto ajudasse Ralf na marcação e também o obrigava a contribuir com os jogadores de frente quando o time tivesse a bola. Ela é intensa. E, teoricamente, menos favorável aos atletas que querem marcar gols. Mas Guilherme não se preocupa mais em balançar as redes a qualquer custo. Prova disto é que tem até ignorado as críticas da torcida para insistir em jogar no mesmo espaço de campo que, em 2015, era ocupado pelo hoje titular da Seleção Brasileira. 

“(Eu vou jogar) onde o Tite está me colocando, sendo esse homem de meio de campo, procurando articular as jogadas, fazer o time jogar e também com comprometimento na marcação. Está dando certo. Eu estou evoluindo e me adaptando cada vez mais”, declarou o ex-atacante, em entrevista exclusiva a Mauro Beting para o Plantão de Domingo, da Rádio Jovem Pan. “Eu estou me empenhando ao máximo”, complementou o agora camisa 10 do Corinthians.

Em 14 jogos na temporada, Guilheme anotou apenas dois gols – muito pouco se comparado ao que costumava fazer nos outros clubes, nos quais jogava como atacante, mas aceitável pelo fato de, hoje, ele atuar muito mais distante da área. Não são os números, contudo, que têm irritado a torcida corintiana. As críticas recaem sobre o jogador pelo até aqui mau desempenho dele na nova função. 

Até mesmo Tite já aparentou certo desconforto com o início do atleta na posição. No mês passado, o treinador chegou a dizer que Guilherme precisava segurar mais a bola e ser um pouco mais participativo durante as partidas. Isto, contudo, não quer dizer que o jogador deixará de jogar na função em pouco tempo. Ele vai insistir. 

“É uma função nova para mim. Vou até onde puder e quero melhorar a cada dia nessa função. Se, em um futuro próximo, eu e o Tite chegarmos a um consentimento de que não há condições de eu continuar na posição, a gente revê, mas, por enquanto, eu vou procurar dar o meu máximo”, relatou, antes de praticamente descartar a possibilidade de jogar como centroavante na equipe corintiana.

“Faz um bom tempo que eu não exerço essa função, mais de três anos, eu acho. A gente está bem servido na posição: tem o André, o Luciano e até o Danilo, que pode jogar por ali. Eu não vejo possibilidade de atuar como centroavantemas, se precisar em algum momento, eu tento exercer”, finalizou, sempre disposto a ajudar Tite no que for necessário.