Há 42 anos, Éder Jofre era bicampeão mundial ao conquistar cinturão dos penas

  • Por Jovem Pan
  • 05/05/2015 08h35
1961 O pugilista Eder Jofre após vencer luta em São Paulo. Imagem que fez parte da exposição "Imagens de Fato - 80 Anos de Folha", realizada entre os dias 21 de agosto e 23 de setembro de 2001, no Masp. (São Paulo, SP, 1961. Foto: Folhapress) (Foto: Folhapress)Maior pugilista da história do boxe brasileiro

Exatos 42 anos trás, o maior nome do boxe brasileiro fazia história lutando em Brasília. No dia 05 de maio de 1973, Eder Jofre enfrentou o cubano José Legrá, no ginásio Presidente Médici (hoje, Nilson Nelson), em Brasília, encarou 15 duros rounds e venceu por decisão dos árbitros, conquistando o cinturão dos penas.

Considerado por muitos o maior peso-galo de todos os tempos, Eder Jofre já era campeão Mundial em sua categoria, mas decidiu subir de peso para tentar o título entre os pesos-penas. Aos 37 anos, e com um cartel invejável, enfrentou o campeão da categoria e, diante de mais de 25 mil pessoas em Brasília, o Galinho de Ouro venceu o combate, conquistou o cinturão do Conselho Mundial de Boxe, e se tornou bi-campeão mundial. O feito fez com que Jofre se igualasse aos boxeadores Sugar Ray Robinson, Henry Armstrong, Archie Moore, lutadores que haviam conquistado títulos em categorias diferentes.

Depois de conquistar o bi-campeonato mundial, Jofre encaminhou a fase final de sua carreira. O Galinho lutou em mais 10 oportunidades venceu todas. O cinturão dos penas foi defendido em apenas uma oportunidade, em outubro de 73, quando venceu o mexicano Vicente Saldivar, dessa vez por nocaute.

Três anos depois, em 1976, Eder Jofre encerrou sua carreira. Além dos dois títulos mundiais, exibiu um cartel com 75 vitórias (50 nocautes), 2 derrotas e 4 empates. Em 1990, O Galinho de Ouro foi incluído no Hall da Fama do Boxe.