Há vida sem Robinho? Santos tenta ocupar as lacunas deixadas pelo camisa 7

  • Por Jovem Pan
  • 01/07/2015 11h38
Sem Robinho

Chegou ao fim, na tarde da última terça-feira (30), a terceira passagem do atacante Robinho no Santos. Vivendo grave crise financeira, o Alvinegro chegou até onde foi possível para segurar seu camisa 7, mas clube e jogador não chegaram a um acordo e comunicaram o fim do casamento.

Diferente de sua última passagem, em 2010, quando o camisa 7 se despediu do clube e viu o Santos com um time forte, Robinho deixa o Peixe cheio de problemas e, de forma semelhante ao que aconteceu em 2005, quando foi vendido para o Real Madrid, vê o alvinegro com futuro incerto. Sem sua principal referência no elenco e com pouco dinheiro para contratar, o Santos busca dentro do atual grupo de jogadores uma figura que ocupe o lugar do Rei das Pedaladas como capitão, ídolo e principal jogador da equipe.

Quem ocupa as lacunas deixadas com a saída de Robinho?

  • Lucas Lima: destaque do Peixe na temporada, o meia Lucas Lima comanda o meio campo santista e desperta o interesse de clubes brasileiros e do exterior. A saída do camisa 20 significaria mais uma baixa irreparável no time de Marcelo Fernandes, mas a possibilidade do meio-campista sair na atual janela de transferência parece menor já que o jogador rompeu com seu empresário e manifestou o desejo de permanecer por mais tempo na Vila. Fundamental no esquema de Marcelo, Lucas pode ser “o cara” do elenco alvinegro.
  • Ricardo Oliveira: líder do elenco ao lado de Robinho e artilheiro da equipe na temporada, Ricardo Oliveira assumiu a braçadeira de capitão enquanto o camisa 7 esteve na Seleção Brasileira durante a disputa da Copa América e deve ocupar o papel de Robinho na liderança dos jovens jogadores.
  • Geuvânio e Gabriel: jovens e queridos da torcida, Geuvânio e Gabriel pode, a longo prazo, suprir a carência de ídolos no time. Reserva nos últimos meses, Gabriel pode assumir a titularidade da equipe e, quem sabe, se firmar na equipe principal do alvinegro.

Crise financeira

Fora de campo, Robinho era tratado como figura importante para auxiliar o clube em questões financeiras. Com apelo midiático, o camisa 7 poderia ser a aposta da direção para ações de marketing e também para atrair patrocínios. Desde que chegou ao clube, porém, Robinho não viu o Santos investir no marketing ou acertar com um patrocinador máster, e ainda presenciou aumento na inadimplência no programa de Sócio Torcedor do clube, missões que se complicam a partir de agora.