Haddad garante assistência ao turismo desportivo em São Paulo durante a Copa

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2014 10h31
Treino da Seleção Brasileira, em São Paulo, SP. A seleção enfrenta a Croácia amanhã na abertura da Copa do Mundo 2014. FOTO: Jefferson Bernardes/VipcommÀs vésperas da estreia

Nesta quinta-feira (12), o planeta inteiro voltará os olhos para a cidade de São Paulo, na qual será realizada a abertura da Copa do Mundo na Arena São Paulo, no bairro de Itaquera. Em entrevista exclusiva à rádio Jovem Pan, o prefeito Fernando Haddad se mostrou confiante quanto ao potencial da cidade que receberá seis jogos do Mundial. 

A Jovem Pan transmite todas as emoções da estreia brasileira na Copa do Mundo diante da Croácia com narração de Nilson César, reportagens de Luis Carlos Quartarollo, Márcio Spimpolo, Fábio Seródio, Fredy Júnior, Felipe Motta, Daniel Lian, Tiago Mendonça e Allen Chadad, e comentários de Flávio Prado, Claudio Carsughi e Fernando Sampaio. Intervalo e Fim de Jogo com Wanderley Nogueira. Vander Luiz comanda o Plantão Esportivo. O Jovem Pan Online transmite, minuto-a-minuto, todos os lances da partida. Para acompanhar, acesse www.jovempan.com.br a partir das 17h.

Horas antes da partida entre Brasil e Croácia, o prefeito demonstrou confiança no potencial de receptividade da capital paulista. “Começamos bem. A cidade está tranquila, tivemos uma noite muito festiva. Os relatados da defesa civil foram os melhores possíveis, com os serviços públicos funcionando. Acho que os turistas vão ficar muito bem impressionados, como sempre ficam em São Paulo. É preciso registrar que nossa cidade é considerada o melhor destino turístico pelo turistas estrangeiros, superando até o Rio de Janeiro. Isso é graças ao trabalhador paulistano”, disse. 

Nos últimos dias, a cidade tem sido tomada por estrangeiros de diversas nacionalidades. Haddad garantiu que a prefeitura fará todo o esforço necessário para acomodar bem os turistas. “Não temos essa estimativa ainda. A precisão para o país é de 600 mil estrangeiros e São Paulo tem a maior rede hoteleira do país. O turismo desportivo é uma coisa nova para o Brasil, então temos que dar uma assistência importante. Vamos procurar prestar o maior apoio possível para que essas pessoas retornem”, afirmou. 

Sobre possíveis manifestações e greves durante a competição, Haddad parece não temer qualquer contratempo. “Ao longo desse último ano, tivemos muito desafios, foi tudo muito atípico desde junho de 2013. Procuramos respeitar os movimentos sociais e estamos começando a Copa do Mundo em uma situação de normalidade. Acho que passamos pelo teste da preparação, da estrutura e do diálogo. Não temo problemas ao longo do mês, ao contrário, acho que o diálogo democrático está sendo feito. Quando há excesso, há também mecanismo de correção”. 

Haddad destacou a honra de receber chefes de Estado e pessoas importantes durante o Mundial. “Há todo um aparato da própria Fifa em relação a isso. Quem organiza a recepção de chefes de Estado é o comitê da Copa. Hoje é uma solenidade quase formal. São Paulo está sediando com muita honra. Existe uma coordenação geral do evento no qual a prefeitura participa e presta serviços da sua competência. É um sistema bastante complexo”, finalizou.