Helmut Marko confirma situação delicada para Red Bull seguir na Fórmula 1

  • Por Agencia EFE
  • 23/09/2015 14h40 - Atualizado em 06/11/2017 11h38

Redação Cental, 23 set (EFE).- O assessor-esportivo da Red Bull, Helmut Marko, admitiu em entrevista publicada nesta quarta-feira que a equipe pode deixar a Fórmula 1, também as conversas com a Ferrari e o desejo para que a Toro Rosso siga existindo, fazendo parte da parceria com uma nova fornecedora de motores.

“Se não tivermos um motor competitivo, não haverá futuro na Fórmula 1 para a Red Bull. As cortinas descerão após Abu Dhabi. Esta é a opinião do senhor Mateschitz (dono da equipe). Ele sabe que custa o mesmo brigar lá na frente ou ficar como estamos agora, entre os primeiros do segundo pelotão, e não deseja isso para a próxima temporada”, explicou Marko ao site da “F-1”.

Segundo o assessor-esportivo, a Renault não está conseguindo fornecer unidades de potência que permita a escuderia brigar por vitórias na categoria.

“Assim como foi no ano passado, está sendo neste ano, não vemos que na próxima temporada possamos estar ao lado de Mercedes e Ferrari”, garantiu Marko.

Na entrevista, o austríaco reconheceu que não haverá acerto com a Mercedes, já que o diretor-executivo, Toto Wolff, confirmou que a empresa está focada em trabalhar a escuderia própria. Por outro lado, admitiu negociações com a Ferrari.

“Tivemos uma conversa com o senhor Marchionne em Monza”, disse Marko, em referência ao executivo-chefe da Fiat.

De acordo com o assessor-esportivo, é improvável que um novo fabricante entre na Fórmula 1, como se especulou nos últimos dias, sobre um possível acerto com a Wolkswagen. Independente do que acontecer, o desejo é que a Toro Rosso também seja contemplada em um novo acordo.

“Seria o cenário ideal, pois faria sentido pela sinergia e pelo custo”, concluiu o austríaco. EFE