Henri Castelli volta a rebater críticas de Leco por vídeo: “querem me calar”

  • Por Jovem Pan
  • 29/08/2016 12h27

Ator Henri Castelli é torcedor fanático do São Paulo e está envolvido em polêmica com a diretoria do clube

Ator Henri Castelli é torcedor fanático do São Paulo e está envolvido em polêmica com a diretoria do clube

O ator Henri Castelli voltou a rebater as críticas do presidente do São Paulo, Leco, por ter gravado um vídeo convocando os torcedores tricolores a comparecerem ao protesto do último sábado, no CT da Barra Funda. A manifestação terminou em invasão, furtos e agressões a jogadores. 

No último domingo, Leco disse à Jovem Pan que acionaria o departamento jurídico do São Paulo para processar Henri Castelli pela gravação do vídeo – que, segundo o dirigente, foi “lamentável” e ajudou a incitar a violência que se consumou na véspera do jogo contra o Coritiba. 

Nesta segunda-feira, porém, o ator voltou a se manifestar sobre o assunto. Henri Castelli disse que Leco quer processá-lo porque ele “fala o que muitos gostariam” e, em longa nota enviada à equipe da Rádio Jovem Pan, detonou: afirmou que os dirigentes tricolores o elegeram como “bode expiatório” para “inverter a situação” e mudar o “foco principal da manifestação”. 

O ator ainda classificou a administração de Leco como “danosa” e foi enfático: “esses dirigentes, esses mesmos, que machucam e denigrem a história do São Paulo, querem agora me calar, com ameaças infundadas e sem qualquer substância. Eu, que frequento o clube com minha família e sempre estive ao lado dele e dos torcedores, me sinto envergonhado pela postura dos que infelizmente hoje nos representam“. 

Por fim, Henri Castelli pediu “decência e humildade” aos dirigentes são-paulinos. “É uma pena que vocês demonstrem mais preocupação com o próprio ego e gastem tempo e dinheiro contra mim do que pensando no que realmente deve ser feito pelo clube!“, escreveu. 

Veja a nota, na íntegra, abaixo:

“Desde sempre procuro acumular em minha vida valores que o tempo não levará. Amizade, honestidade, autenticidade. Por isso que, de forma sempre original, construo dia após dia meus relacionamentos com muito trabalho e franqueza, defendendo os ideais que acredito, DESPROVIDO de interesses ou benefícios pessoais. 

Muito me surpreende e me envergonha receber mensagens com matérias informando que a ÚNICA atitude que será tomada em resposta a um protesto justo e legítimo será processar um grande torcedor e defensor do SPFC! 

Ao invés de ouvirem o que é aclamado e responderem ao que é pedido, os dirigentes simplesmente optam por eleger um bode expiatório – eu – para inverter a situação, procurando assim se esquivarem de suas responsabilidades, ofuscando o foco principal da manifestação. 

Sim, eles tem responsabilidades perante ao clube! Tornam-se eleitores por livre e espontânea vontade e, quando nomeados, devem assumir o papel. O SPFC não pode sofrer calado e ser vítima de uma administração danosa, que prejudica os interesses do clube. Não por acaso se acumulam representações no conselho que necessitam de urgente e criteriosa apuração, notadamente das responsabilidades quantos aos prejuízos e operações que são, no mínimo, duvidosas. 

Um clube em que o próprio presidente da diretoria tem contra si representação em função de ato que causou prejuízo milionário ao SPFC, num caso recheado de curiosidades muito estranhas, resultando na penhora de uma das maiores bilheterias de renda em jogo da Libertadores no ano passado, não pode e não deve se calar.  

Esses dirigentes, esses mesmos, que machucam e denigrem a história do SPFC, querem agora me calar, com ameaças infundadas e sem qualquer substância. Eu, que frequento o clube com minha família e sempre estive ao lado dele e dos torcedores, me sinto envergonhado pela postura dos que infelizmente hoje nos representam.  

Por diversas vezes fui convidado a participar do conselho e ocupar cargos, mas nunca aceitei, especialmente porque tenho uma vida corrida de gravações e sei que não conseguiria me dedicar ao clube como ele merece. Tenho consciência de que seria uma grande responsabilidade e optei por não tê-la. É o que cada um deveria fazer, em prol do clube. O São Paulo não pertence a dirigentes, mas sim à sua torcida, e é essa consciência que está faltando. 

Apesar disso, minha vida inteira fiquei à disposição para participar de qualquer ação em benefício do clube. Os conselheiros mais antigos podem confirmar! 

Para quem não sabe, e é difícil não saber porque minha imagem é pública e nunca consegui disfarçar essa paixão, desde que me entendo por gente sou torcedor do São Paulo. Virei são-paulino sozinho. Nem minha mãe, nem meu pai torciam pelo clube. Por isso, acabava indo para o estádio com um vizinho. Parava um Brasília 1972 sempre a uns 3km do estádio e caminhava até meu cube de coração apenas para assistir a um espetáculo. Estudava em São Bernardo e, por vezes, pegava três ônibus pra ver o nosso São Paulo. 

Mais tarde, comecei a viajar pra ver os jogos, seja no Brasil ou no exterior, sempre com meu dinheiroLogo me tornei sócio do clube e tenho orgulho disso, porque antes eu morava muito longe. Hoje, com meu trabalho honesto, tenho a honra de morar em frente ao clube, coisa que parecia impossível pra mim e que hoje é um sonho de criança realizado. Não sou nem mais, nem menos torcedor do que ninguém, mas pelo meu clube de coração sempre farei e quando possível brigarei por melhoras. Só, nesse ano, fui pra Recife, Belo Horizonte e MéxicoEm todos os jogos, pago meu ingresso e estou na arquibancada, sempre por perto. No momento, estou triste pela situação do clube, assim como milhares de torcedores pelo Brasil 

Graças a Deus, não dependo do clube pra nada, e por isso tenho, sim, direito e voz pra protestar quando achar que as coisas não vão bem. Vivemos em uma democracia. Em relação às responsabilidades que querem me imputar, eu já vou me antecipar em dizer que nosso protesto é CONSTITUCIONAL! 

“Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes: (…) II – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei; (…) IV – é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato; (…) XVI – todos podem reunir-se pacificamente, sem armas, em locais abertos ao público, independentemente de autorização, desde que não frustrem outra reunião anteriormente convocada para o mesmo local, sendo apenas exigido prévio aviso à autoridade competente; (…) XVII – é plena a liberdade de associação para fins lícitos, vedada a de caráter paramilitar”; (CF, 1988) 

Esse protesto, ao contrário do que pretendem apregoar, foi PACÍFICO, sem arrombamento, sem armar e previamente informado.  

Atuais dirigentes do meu clube, esse é nosso meio de participar ativamente, expressando o cuidado que temos com nosso time e que queremos que vocês tenham também. Esse movimento é o que legalmente nos permite essa aproximação, quando não somos ouvidos, para assim alcançarmos um objetivo maior: o bem comum do SPFC. Pelo menos, é para isso que deveria servir. Uma pena vocês demonstrarem mais preocupação com o próprio ego e gastarem tempo e dinheiro em demandar contra mim, ao invés de terem a decência e humildade de pensar no que realmente deve ser feito pelo clube!!! 

Não vou estender essa nota em fazer minha suposta defesa, porque se as ações realmente prosperarem, me defenderei judicialmente. Vou aproveitar esse espaço e o alarde que essa diretoria fez com nosso simples manifesto para dizer que vivemos um momento impar na história, onde o povo na sua diversidade e pluralidade se manifesta, exige, muda, e não serão gestores que irão triunfar com o plano de mordaça, ao invés de buscarem resgatar o SPFC de tanta gente! 

Não vou me calar, continuarei com minhas paixões e ideais, sem falsidade em meus relacionamentos, mas acima de tudo em defesa a valores e um futebol digno e não mercenário. 

Eu estou convicto de que o que fiz é legal e constitucional. Meu convite foi a um manifesto, sem INCITAR VIOLÊNCIA como o presidente falou… Presidente que pouco tempo atrás me cumprimentava com beijo no rosto, pedindo eleitorado… Ai você percebe quem é movido por interesse político… Eu não sou político. Sempre que fui convidado para ocupar cargos no SPFC, recusei, porque não gosto de agradar a todos por voto. Prefiro continuar sendo torcedor, e o voto não valer nada pra mim.  

Agora, no grupo de Whatsapp deles, muitos estão me chamando de veado… Isso poderia afetar minha honra, mas a carapuça não serve, então não me irrito.. Podem ficar tranquilos que, quanto a isso, não farei nenhuma notícia crime. Eles não deveriam se incomodar tanto também. Não entendi… 

Vamos só lembrar que as pessoas se reuniram para se manifestar pelo SPFC e não porque elas me amam ou porque eu pedi… Por trás disso, já existe uma insatisfação e um inconformismo das pessoas, o que EFETIVAMENTE LEVOU-AS AO CT… Não meu mero vídeo O que estão tentando fazer é OFUSCAR O FOCO PRINCIPAL DA MANIFESTAÇÃO. Muito feio e vergonhoso tudo isso. 

A verdade é que eles deveriam estar preocupados em cuidar do clube e não em me atacar ou se defender. Se eu quisesse agir igual a eles, pegaria frases como essa, do presidente Leco, e faria notícia-crime de ameaça: “você deveria tomar cuidado.. Bla bla bla“. Mas esse não é o propósito… O propósito é O BEM DO SPFC. Acho que não entenderam isso até agora.”