Henrique pede apoio da torcida palmeirense para “jogo do ano”

  • Por Jovem Pan
  • 03/12/2014 14h45

O atacante Henrique prevê uma partida bastante complicada contra o Grêmio

Henrique

O Allianz Parque foi confirmado como estádio para o jogo decisivo de domingo, quando o Palmeiras buscará a vitória contra o Atlético-PR para permanecer na primeira divisão sem depender de outros resultados. E, na manhã desta quarta-feira, em entrevista coletiva, o atacante Henrique fez questão de convocar a torcida para lotar o estádio e ajudar o time nessa difícil tarefa.

“Queremos jogar em nossa casa, independentemente da situação. O torcedor que for ao Allianz Parque irá nos apoiar, assim como foi nos demais jogos”, disse Henrique. Ele também prefere não pensar no pior: “Nem passa pela nossa cabeça que acontecerá uma tragédia, pelo contrário. Precisamos do apoio dos nossos torcedores para permanecer na primeira divisão”.

Além disso, o artilheiro do Verdão no Campeonato Brasileiro, com 15 gols, elogiou o apoio da torcida até agora. “Não tem o que falar do torcedor, que nos acompanha desde a primeira partida, tem sido fundamental e, com certeza, continuará nos ajudando”. E prometeu retribuir essa ajuda em campo. “Nós, jogadores, continuaremos dando o nosso melhor e fazendo o possível e o impossível para sairmos de campo com a cabeça erguida e o dever de deixar o Palmeiras na primeira divisão”.

O time alviverde é o único dos que brigam contra o rebaixamento que depende de suas próprias forças para permanecer na elite. Não por acaso, Henrique definiu a partida da última rodada como o jogo do ano. “Encararemos como o jogo do ano, que será fundamental. A semana não muda com relação aos treinamentos, mas sim o lado psicológico que tem de estar pronto para o jogo de domingo”. Para isso, ele conta com a volta do craque Valdivia, que voltou a treinar com bola nesta semana. “Todos sabem a qualidade que ele tem. Pelo pouco que vi (no treino), já está correndo e batendo bola”.

Sobre o futuro do Palmeiras, o camisa 19 projeta dias melhores em caso de permanência da Série A. “Temos exemplos no futebol de quando clubes enfrentam problemas como este e, no ano seguinte, brigam por títulos ou (vaga na) Libertadores. É um processo difícil, mas acredito que, lá na frente, virão as vitórias”.