Héverton revela mágoa com a Portuguesa e admite que pensa em deixar futebol

  • Por Jovem Pan
  • 16/03/2014 11h59
Heverton. Portuguesa x Goias pelo Brasileiro A 2013 no Caninde. 10 de Outubro 2013, Sao Paulo, Sao Paulo, Brasil. Foto: Mauro Horita/AGIF Mauro Horita/AGIF/Folhapress Após polêmica

O “caso Héverton” ficará marcado como um dos episódios mais polêmicos do futebol brasileiro. Em meio a imbróglios jurídicos e indefinições, o episódio vem se arrastando desde o final de 2013. Falando de forma exclusiva à Jovem Pan, o meia revelou mágoa com o clube e afirmou até que está cogitando deixar o futebol. Ele lamentou a postura com que a Portuguesa vem tratando da situação e rebateu acusações de ter se vendido para prejudicar o clube.

Atualmente no Paysandu, o jogador foi o centro das atenções no caso que levou a Portuguesa à Série B de 2014 e mesmo assim prefere ficar longe dos microfones. “Fiquei calado esse tempo todo. Procuro nem falar muito sobre o que aconteceu. Recebi muito ameaça por telefone. Não quis falar com ninguém porque eu precisava saber a posição da Portuguesa para não dizer nada que pudesse prejudicá-la”, afirmou.

O responsável pela sua escalação irregular ainda não foi definido. O próprio meia evita apontar culpados. “Não quero falar mal de ninguém mesmo agora que estou longe. Quem sou eu para falar de alguém? Eu não sei quem errou. Mas recebi muitas ameaças, já tive que trocar de celular duas vezes”.

O jogador fez questão de ressaltar que não recebeu dinheiro de ninguém durante todo o período que a polêmica se desenrola. “Não sei quem me ameaçava, nem que tipo de pessoa era. Isso virou um caso de polícia e falaram que me vendi. Jamais faria isso por qualquer dinheiro. Na vida, o que vale mais é o caráter do homem, eu quero ser um exemplo para os meus filhos”.

Toda a repercussão do caso faz com que o jogador chegue a pensar a deixar o futebol. “Na verdade, isso causou muita coisa em mim, não sei se vou continuar jogando. Estou repensando minha carreira”, admitiu.

Héverton relevou que ainda a Lusa ainda não quitou todas as pendências financeiras com o jogador, que tem sido paciente. “Tenho luvas e direitos de imagem para receber, mas ainda não acionei a justiça nem nada, estou esperando uma ligação dessa nova diretoria para entrarmos em um acordo. São meus direitos, mas não quero brigar com eles”.

O jogador de 28 anos lamentou a falta de diálogo com a Portuguesa durante todo o caso. “Esperei até que a Portuguesa fosse me procurar e se explicar. Depois de cinco anos de contrato, poderiam ter me explicado, me pedido para ir a algum julgamento, eu iria com o maior prazer. Essa postura me magoou bastante”.