História sobre perda de memória de Alonso é “sensacionalista”, diz Briatore

  • Por Agência EFE
  • 09/03/2015 14h09
Flavio Briatore se diz traído por Bernie Ecclestone e promete ir à justiça contra FIA

O italiano Flavio Briatore, que foi diretor esportivo de Fernando Alonso quando o piloto defendia a Renault, disse que o espanhol “está bem” e que “a história” publicada pela imprensa sobre a perda de memória após o acidente em Montmeló é “sensacionalista”.

O italiano afirmou, em declarações ao canal Sky, que Alonso ficou dois dias internado para ser submetido a “todos os exames possíveis” e que “todos deram resultados negativos”.

“Os médicos recomendaram que ele não participasse de Melbourne por prevenção, e daí foi dito de tudo. Houve um momento em que ele perdeu um pouco de memória, mas só durante dois ou três dias, o resto é sensacionalismo. Não foi como publicou (o jornal espanhol) El País, que ele não lembrava dos últimos 20 anos”, ressaltou.

O ex-diretor esportivo da Renault afirmou que o acidente “não foi tão dramático e forte” e disse que “falta ver se ocorreu devido a um problema no eixo” do carro, algo que “já se aconteceu no passado”. Por esse motivo, o italiano pediu à McLaren para que esclareça tudo que aconteceu.

“Não tivemos nenhuma informação da McLaren e o que aconteceu foi algo muito estranho que Ron Dennis (chefe da escuderia) não esclareceu. Esperamos que cedo ou tarde esclareça. Há em curso uma investigação da Federação Internacional de Automobilismo e devemos saber o que ocorreu, para a tranquilidade de todos”, disse.

Alonso sofreu um acidente na curva 3 do circuito de Montmeló, em Barcelona, ao se chocar contra o muro a cerca de 150 km/h e perdeu a consciência durante algum tempo, segundo informou Ron Dennis.

A circunstância ativou o protocolo de segurança e, após receber atendimento médico no circuito, Alonso foi levado de helicóptero para o Hospital Geral da Catalunha, onde permaneceu três dias internado.