Hulk e Helton são condenados a pagar multas por agressão em Portugal

  • Por Agência EFE
  • 17/02/2014 13h22

Hulk chegou a ser dúvidaHulk chegou a ser dúvida

Os jogadores brasileiros Hulk e Helton foram condenados nesta segunda-feira ao pagamento de multas de 45 mil e 60 mil euros, respectivamente, por agredir em 2009 dois responsáveis pela segurança no túnel dos vestiários do Estádio da Luz, que pertence ao Benfica.

O Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa decidiu punir com multas cinco jogadores que na época atuavam no Porto por conta das agressões, além de obrigar o pagamento de uma indenização de 30.500 euros aos agredidos.

Por ser uma decisão de primeira instância, o Porto pode recorrer da sentença.

Segundo filtaram alguns meios de comunicação lusos, além dos jogadores brasileiros Helton e Hulk, Sapunaru (atualmente no Elche) foi multado em 90 mil euros e Cristian Rodríguez (Atlético de Madrid) e Fucile (Porto) com 45 mil euros.

O caso da agressão ocorreu em 20 de dezembro de 2009, quando os cinco jogadores agrediram os dois responsáveis de segurança no túnel do Estádio da Luz uma vez terminado o encontro válido pela 14ª rodada do Campeonato Português, quando o Porto foi derrotado por 1 a 0 pelo Benfica, com gol do argentino Javier Saviola.

O Ministério Público sustentou sua acusação com as imagens das câmaras de vídeo-vigilância, fotografias e parecer de médicos.

Antes deste processo penal, o caso motivou uma investigação da comissão Disciplinar da Liga portuguesa, que decidiu no começo do 2010 suspender durante quatro meses o então atacante estrela do Porto, Hulk, e por seis meses o defensor Sapunaru.

As punições de Hulk, hoje no Zenit, e Sapunaru, no Elche, foram reduzidas sensivelmente posteriomente a apenas três e quatro encontros, respectivamente, embora já tivessem cumprido a maior parte de sua pena inicial.

Os responsáveis de segurança relataram em sua denúncia como vários jogadores do Porto os agrediram com chutes e murros depois que eles impediram os atletas de chegar ao trio de arbitragem.