Hulk marca, mas não evita queda do anfitrião Zenit diante do Dortmund

  • Por Agência EFE
  • 25/02/2014 16h23

O polonês Robert Lewandowski marcou dois gols na vitória do Dortmund sobre o Zenit

Robert Lewandowski comemora gol contra Zenit

O Borussia Dortmund manteve a hegemonia dos visitantes nas oitavas de final da Liga dos Campeões da Europa, ao bater nesta terça-feira o Zenit São Petersburgo, de Hulk, que marcou uma vez na partida, por 4 a 2.

Em quatro minutos, o atual vice-campeão continental largou na frente, com gols de Henrikh Mkhitaryan e Marco Reus. No segundo tempo, os anfitriões reagiram. Oleg Shatov descontou, mas Robert Lewandowski respondeu em seguida. Hulk balançou a rede de pênalti, mas de novo o goleador polonês balançou as redes, fechando o placar.

Na próxima partida, marcada para o dia 19 de março, em Dortmund, o time russo precisará vencer por três gols de diferença para garantir classificação direta. Se devolver o 4 a 2, a decisão acontecerá na prorrogação. Persistindo o empate no tempo extra, a vaga sairá nos pênaltis.

Na semana passada, nos quatro jogos disputados pelas oitavas, o time que atuou fora de casa venceu sem levar gols. O Barcelona bateu o Manchester City por 2 a 0, o Paris Saint-Germain superou o Bayer Leverkusen por 4 a 0, o Bayern de Munique venceu o Arsenal também por 2 a 0, e o Atlético de Madrid despachou o Milan por 1 a 0.

O jogo em São Petersburgo foi marcado pelos desfalques nas equipes. Cristian Ansaldi, Roman Shirokov e Danny não entraram em campo pelo Zenit. O técnico italiano Luciano Spaletti, aliás, só tendo seis jogadores a disposição no banco de reservas, um a menos que o autorizado.

Já o alemão Jürgen Klopp não tinha à disposição Mats Hummels, Neven Subotic, Sven Bender, Ilkay Gündogan e Jakub Blaszcykowski. Robert Lewandoswki, grande artilheiro da equipe, e que era dúvida por causa de uma gripe, foi a boa notícia para o Dortmund, entrando em campo entre os titulares.

Quando a bola rolou, ficou claro que o time alemão é que não sentiria o peso dos problemas de lesão. Logo aos 3 minutos, Reus arrancou pela direita, evitou cair após ser puxado, tentou cortar a zaga, mas foi desarmado dentro da área. A bola, no entanto, sobrou para Mkhitaryan, que fuzilou para as redes, abrindo o placar.

Mal deu tempo para o Zenit sentir o golpe, já que aos 4 minutos, Mkhitaryan arrancou pela direita, bateu cruzado para a área em direção a Grosskreutz, que só ajeitou para Reus bater de primeira e estufar as redes do goleiro Lodygin.

Sem colocar sua equipe em campo por um jogo oficial a dois meses e meio, devido ao recesso de inverno do Campeonato Russo, o técnico Luciano Spaletti mostrou descontentamento e, já aos 14 minutos, colocou o volante ucraniano Tymoshchuk no lugar do apático atacante Arshavin.

Mesmo com a mexida do Zenit, que supostamente deveria ficar mais sólido defensivamente, os visitantes seguiram levando muito perigo. Aos 29, Reus teve grande chance de marcar seu segundo, finalizando para fora da entrada da área. Sete minutos depois foi a vez de Kehl arriscar, parando na defesa de Lodygin.

Na etapa complementar, o time russo voltou melhor para tentar o empate. Aos 12 minutos, em lance duvidoso e de muito bate e rebate na área, Hulk tentou finalizar por cobertura, mas a zaga cortou, Rondón acertou a trave no rebote, e após corte errado de Schmelzer, Shatov apareceu para soltar a bomba e marcar.

Sempre cirúrgico, o Borussia Dortmund não deu chance para o rival reagir e balançou as redes quatro minutos depois. Em boa trama pela direita, Lewandowski passou a bola para Piszczek que carregou até a linha de fundo e tocou para atrás, em direção ao polonês, que tocou por baixo de Lodygin, fazendo 3 a 1.

Em 22 minutos do segundo tempo, em nova decisão polêmica da arbitragem comandada pelo escocês William Collum, Fayzulin invadiu a área e caiu após se chocar com Piszczek, o que foi considerado pênalti. Na cobrança, Hulk encheu o pé e acertou o ângulo esquerdo de Weindenfeller.

O time alemão foi rápido mais uma vez ao responder, marcando seu quarto gol aos 24. Em bobeada de Tymoshchuk na saída de bola, Reus fez o desarme e serviu Lewandowski, que bateu cruzado para vencer o goleiro russo mais uma vez e marcar pela sexta vez na competição.

Atrás de diminuir o prejuízo, Hulk apareceu bem aos 35, em chute perigoso de longa distância, que deu trabalho para o goleiro alemão do Borussia Dortmund, que não conseguiu agarrar a bola, fazendo o desvio para a linha de fundo, no último lance de perigo da partida.