“Ia resolver do meu jeito”, diz Serginho Chulapa sobre racismo

  • Por Jovem Pan
  • 09/03/2014 14h32
Serginho Chulapa se diz orgulhoso da sua raça e critica racismo no Brasil

O meio campista santista sofreu com o racismo no meio de semana, quando foi chamado de “macaco” por torcedores do Mogi Mirim na saída do jogo. No mesmo dia, o árbitro do Rio Grande do Sul Márcio Chagas da Silva também relatou ofensas, com cascas de banana sendo colocadas em seu carro após uma partida do Gauchão. Os dois casos, somados ao ocorrido com Tinga em partida da Libertadores, no Peru, já mancharam o futebol em 2014.

Serginho Chulapa conversou com exclusividade com a Jovem Pan e, conhecido por ser um jogador “esquentado” e polêmico, garantiu: “Se fosse comigo, eu iria resolver do meu jeito”. A tristeza para ele é que nos dias atuais situações como esta ainda ocorram, e criticou a impunidade.

“A federação suspendeu o estádio do Mogi, mas vai resolver alguma coisa? O que o Mogi tem a ver com isso? Não tem policiamento, ninguém ouviu, porque não pegaram os caras? Tem que ficar gente lá fora e prender esses vagabundos, levar para a cadeia e esquecer lá”.

Chulapa reclamou de o Brasil ser um país racista, e também de ninguém ser preso, só quando não paga pensão. “Eu sou negro e adoro minha raça, mas as vezes o próprio negro tosse contra o negro. É esdrúxulo acontecer isso, um país da Copa passar por isso. Infelizmente existe todo tipo de racismo no nosso país, e eu gostaria de pegar queria ser o executor desses caras”.

Ele garantiu que nunca sofreu racismo na vida, e espera não passar por uma situação triste como esta, mas, se estivesse no lugar de Arouca, disse que pularia o alambrado para pegar os responsáveis. “Eu pulava sem a menor duvida. O caminho é a delegacia, tem que fazer B.O e o caramba, mas se eu passasse por isso acho que eu ia acabar preso também, porque ia resolver do meu jeito”.

Ele também comentou sobre o bom momento do Santos, e elogiou o trabalho de Oswaldo de Oliveira e das categorias de base, que prepara bem os garotos para chegarem ao profissional. “Estamos em um grande momento, Oswaldo é extraordinário, dá liberdade, mas também cobra. Soube mesclar a equipe e espero que mantenha o desempenho para a gente conquistar o Paulista”. O novo atacante santista, Leandro Damião, também recebeu elogios, e chegou a ser cogitado para a Seleção pelo ex-jogador