Ídolo do Timão e líder da Democracia Corintiana, Casagrande faz aniversário

  • Por Jovem Pan
  • 14/04/2015 21h29
Futebol - Campeonato Brasileiro, 1994: Corinthians x Grêmio: o jogador corintiano Casagrande comemora gol contra o Grêmio no estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP). (São Paulo (SP), 09.10.1994. Foto de Antônio Gaudério/Folhapress. Negativo: 15572.94)Casagrande foi um dos líderes da Democracia Corintiana e um dos ídolos do Timão

Para os mais novos, Walter Casagrande é mais conhecido como um enrolado comentarista de futebol na televisão. Entretanto, para quem nasceu alguns anos antes e teve o privilégio de vê-lo jogar, “Casão” é um dos maiores atacantes brasileiros de todos os tempos e um dos grandes ídolos do Corinthians. Em seu aniversário de 52 anos, nesta quarta-feira (15), a Jovem Pan Online traz um pouco da memória de seus tempos de jogador.

Formado nas categorias de base do próprio alvinegro, Casagrande mostrava personalidade desde a juventude com seu gosto pelo rock’n’roll, seu engajamento político e sua vida boêmia. Essa última característica lhe rendeu problemas com treinadores, e por isso foi emprestado para Caldense e São Paulo entre períodos de brilho pelo Corinthians. Nesses períodos, conquistou o Campeonato Paulista em 1982 e 1983, além de outros cinco títulos de menor expressão.

Foi um dos líderes da Democracia Corintiana, movimento de jogadores do clube que lutavam por democracia no futebol e na política brasileira, e foi companheiro de craques como Sócrates, Wladimir, Biro-Biro e Zenon. O sucesso o levou à Seleção Brasileira na Copa de 1986 e também ao Porto. Em Portugal não conseguiu repetir a boa fase, mas recuperou o destaque na Itália jogando por Ascoli e Torino. Por este último, chegou a marcar dois gols em um dos jogos da final da Copa da UEFA de 1992, vencida pelo Ajax pelos gols marcados fora de casa. Em compensação, conquistou a Copa da Itália em 1993.

Casagrande voltou ao Brasil em 1993 para defender o Flamengo, e no ano seguinte voltou ao Corinthians, atendendo ao clamor dos torcedores. Nesta última passagem pelo Parque São Jorge, o atacante chegou à marca de 256 jogos pelo clube e 103 gols marcados.

Apesar do sucesso, Casão sofreu com o vício em cocaína durante e após a carreira como jogador. Esse problema o fez ficar afastado de seu trabalho como comentarista por quase dois anos antes de retornar em 2009 para seguir.

Relembre (ou conheça) alguns dos grandes momentos de Casagrande.

Dois gols na final da Copa da UEFA de 1992

Gol contra o São Paulo após grande jogada de Ataliba em 1982

Casagrande marca contra o Santo André no Paulistão de 1982

O ídolo corintiano também brilhou no Tricolor

Casagrande faz três em goleada sobre o Palmeiras em 1982