Igual, mas diferente de 2015: há quatro anos, Corinthians conquistava o penta

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2015 09h41
SÃO PAULO, SP, BRASIL, 30-10-2011, 16h: Futebol - Campeonato Brasileiro, 2011 - Corinthians 2 x 1 Avaí: o jogador Liedson (centro) é abraçado por Fabio Santos (à esq.) e Paulinho em comemoração a seu gol durante partida contra o Avaí pelo Campeonato Brasileiro no estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP). (Foto: Ricardo Nogueira/Folhapress, 1483)Com defesa sólida

Ainda de ressaca após comemorar o seu sexto título brasileiro, o Corinthians tem no dia 4 de dezembro uma data marcante em sua trajetória. Foi neste mesmo dia, quatro anos atrás, que o Timão conquistou o quinto Brasileirão de sua história.

Em 4 de dezembro de 2011, o alvinegro do parque São Jorge empatou em 0 a 0 com o Palmeiras, resultado suficiente para ficar a frente do segundo colocado, Vasco da Gama, e assegurar a conquisto do título.

Quatro anos depois do penta, o Timão já é hexa. Alguns pontos assemelham e diferem as duas equipes campeãs. O grande exemplo de semelhanças e diferenças é o técnico Tite. Peça fundamental nas duas conquistas, o treinador foi decisivo, cada ano com um estilo diferente.

No aniversário de quatro anos do título brasileiro do Corinthians em 2011, o Jovem Pan Online destaca semelhanças e diferenças entre os times do penta e do hexa alvinegro:

Pontos em comum

A melhor defesa do Brasileirão: tanto em 2011 quando em 2015, o Timão contou com uma defesa sólida que deu segurança para as duas equipes chegarem ao título incontestável. Quatro anos atrás, o Corinthians teve a melhor defesa da competição com 36 gols sofridos. Nesta temporada, o alvinegro repetiu o feito, mas dessa vez com apenas 30 gols sofridos.

A formação: comandada por Tite nos dois títulos, a equipe do Parque São Jorge utilizou sistemas táticos parecidos nas duas conquistas: a variação entre os 4-2-3-1 e o 4-1-4-1. Coincidência a mais nas duas equipes é o volante Ralf, peça fundamental na cabeça de área em ambos os sistemas e presente nos dois títulos.

A ausência de um craque absoluto: times de bons jogadores, com bom desempenho tático e muito entrega: assim se caracterizaram as duas equipes que coincidentemente não contava com um craque que fizesse a diferença. Se nesta temporada, Renato Augusto e jadson dividiram o protagonismo, quatro anos atrás, Liedson, Emerson Sheik, Paulinho e Alex foram os destaques.

O volante que faz a diferença: Fortes na marcação e surpresas no ataque, os segundos volantes de Tite foram destaques nos dois times de Tite. Paulinho em 2011 e Elias em 2015 ganharam espaço surgindo como elementos surpresa e fazendo gols importantes.

Pontos diferentes

O futebol mais vistoso e ofensivo de 2015: se tem um ponto totalmente diferente entre os times campeões em 2011 e 2015 é a parte ofensiva. Se quatro anos atrás, o destaque corintiano era a defesa sólida e o ponto a melhorar era o ataque que marcava poucos gols, nesta temporada, o excelente setor ofensivo e o equilíbrio defensivo fizeram a diferença. Em 2015, o Timão alcançou o melhor ataque do Brasileiro com 70 gols marcados até aqui, enquanto em 2011 foram 53.

Número de pontos: o futebol mais vistoso e ofensivo refletiu no número de pontos entre os dois times campeões. O Corinthians de 2011 conquistou a taça com 71 pontos. Nesta temporada, restando ainda uma rodada para o fim do campeonato, o Timão já soma 80 pontos.

A casa corintiana: sem quatro anos atrás os corintianos ainda tinham o Pacaembu como seu alçapão e palco de sua conquista, em 2015 é a novíssima Arena que recebe aconchega o Timão e pressiona os adversários que visitam o alvinegro.

Tite: a diferença e o ponto em comum

Tite reúne em si a diferença e a semelhança nas duas conquistas. O ponto em comum é o fato do treinador ser o comandante alvinegro nas duas conquistas. A diferença está no próprio técnico que se aperfeiçoou, mudou parte de sua mentalidade e cresceu como treinador: sem em 2011, Tite sofria críticas por montar uma equipe pouco ofensiva, em 2015 o ataque virou ponto forte de seu time. A posse de bola, as triangulações e a defesa também são pontos aperfeiçoados e que diferem o comandante de hoje com aquele de quatro anos atrás.